o que é e tudo sobre a gestão ágil no marketing

Aprenda como fidelizar seu leitor com essas 7 táticas infalíveis
agosto 24, 2020
tenha um diploma em 6 meses!
agosto 26, 2020
Show all

o que é e tudo sobre a gestão ágil no marketing

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

Você ainda trabalha com planos anuais de marketing? E ainda realiza reuniões sem fim que poderiam ser substituídas por emails? Então, está na hora de conhecer o Agile Marketing e se adaptar aos novos tempos.

Nesta época em que vivemos, mudanças são rápidas e constantes. Não dá mais para esperar um ano inteiro para rever as estratégias de marketing. Não dá mais para perder horas em reuniões improdutivas.

O Agile Marketing, portanto, veio para colocar as equipes de marketing na era digital. Adaptada da área de desenvolvimento, essa metodologia ágil faz com que as empresas respondam rapidamente às mudanças do mercado, de forma colaborativa e focada no consumidor.

Agora, você vai conhecer tudo sobre o Agile Marketing, por que vale a pena adotar essa metodologia e como ela funciona. Vamos lá?

O que é Agile Marketing?

Agile Marketing é uma metodologia ágil de gestão de projetos que utiliza ciclos curtos de trabalho, com uma abordagem iterativa e incremental, para gerar melhorias contínuas nas estratégias de marketing.

A proposta é não ficar parado no tempo diante das mudanças de mercado e das respostas dos consumidores às estratégias, que acontecem hoje de maneira constante e acelerada. O marketing precisa agir mais rapidamente.

Para isso, a metodologia provoca algumas transformações nas equipes de marketing.

  • Se elas querem ser ágeis, precisam ser mais colaborativas e ter mais flexibilidade;
  • Se querem responder rapidamente ao mercado, precisam estar sempre focadas no consumidor;
  • Se querem ter melhorias contínuas, precisam planejar e avaliar as estratégias em períodos mais curtos.

Com esse conjunto de mudanças, o marketing consegue se tornar mais produtivo, maximizar a eficiência e melhorar as entregas. Consequentemente, consegue também entrar na velocidade da transformação digital pelas quais as empresas estão passando atualmente.

Origem do Agile Marketing

As metodologias ágeis (também conhecidas simplesmente como “agile”) nasceram na área de desenvolvimento de softwares, com o objetivo de criar produtos melhores e mais rapidamente.

Hoje elas já foram adaptadas para diversas indústrias e setores, como construção, educação, finanças e, é claro, marketing.

Mas se engana quem pensa que agile é um assunto recente. Lá em 1970, os desenvolvedores já estavam preocupados com seus processos de trabalho. Naquele ano, Winston Royce, cientista da computação, publicou um artigo sobre o desenvolvimento de grandes softwares.

Para o autor, eles deveriam ser criados em etapas sequenciais de desenvolvimento, o que futuramente seria nomeado de metodologia “waterfall” (ou “cascata”). Essa é a metodologia mais usada pelas empresas, não só no desenvolvimento de softwares, mas também no marketing e outras áreas.

Porém, o próprio autor reconhece as limitações dessa metodologia e propõe que o desenvolvimento dê passos para frente e para trás até chegar ao objetivo final com a melhor entrega. Assim foram lançadas as bases do agile.

Muitas discussões aconteceram a partir desse estudo. Mas foi em 2001, diante do início da era digital, que um grupo de profissionais de tecnologia buscou consolidar a metodologia ágil no mercado.

Naquele ano, eles lançaram o Agile Manifesto, que se tornou uma bíblia para os evangelizadores da metodologia ágil. Esse manifesto traz um conjunto de 4 valores e 12 princípios para o desenvolvimento ágil de software. Os quatro valores são os seguintes:

  • Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas;
  • Software em funcionamento mais que documentação abrangente;
  • Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos;
  • Responder às mudanças mais que seguir um plano.

Embora percebam o valor que há nos itens à direita, os profissionais que adotam o desenvolvimento ágil passam a valorizar mais os elementos à esquerda.

Além disso, há também os 12 princípios do desenvolvimento de software ágil. Eles podem ser resumidos assim:

  1. Priorizar a satisfação do cliente com entregas rápidas e contínuas;
  2. Aceitar mudanças em qualquer estágio do processo, mesmo que tardiamente;
  3. Entregar softwares com mais frequência e na menor escala de tempo;
  4. Alinhar gestores e desenvolvedores diariamente durante todo o projeto;
  5. Oferecer ambiente, suporte e confiança para manter a equipe motivada;
  6. Conversar com e entre a equipe de perto, presencialmente, cara a cara;
  7. Entender o funcionamento dos softwares como principal medida de progresso;
  8. Manter um ritmo de desenvolvimento constante e contínuo;
  9. Ter atenção contínua à excelência técnica e ao bom design para ter mais agilidade;
  10. Simplificar para ter mais eficiência;
  11. Proporcionar autonomia para as equipes se organizarem;
  12. Avaliar a efetividade em intervalos regulares para ajustar o projeto.

Esses princípios, portanto, norteiam a metodologia ágil no desenvolvimento de softwares. Mas cada indústria que absorve o agile precisa adaptar esses valores e princípios ao seu contexto.

Quais são os fundamentos do Agile Marketing?

A partir do Agile Manifesto, a metodologia ágil se espalhou pelos departamentos de desenvolvimento de softwares e de TI. Porém, os outros setores compreenderam que aquela metodologia poderia se adaptar aos seus contextos e trazer ganhos de agilidade, produtividade e eficiência.

Então, foi a vez dos profissionais de marketing criarem o seu manifesto. Em 2012, o evento SprintZero reuniu profissionais de marketing em São Francisco (EUA), que documentaram os valores fundantes de uma metodologia ágil para o marketing. Assim surgiu o Agile Marketing Manifesto.

Embora não seja tão consagrado quanto o original, esse manifesto serve como um norteador para as empresas e profissionais que quiserem adotar essa metodologia. Ele traz 7 valores e 10 princípios para a adoção da metodologia ágil no marketing.

Vamos nos aprofundar agora em cada um dos 7 valores do Agile Marketing. Eles podem parecer simples, mas provocam transformações profundas na forma tradicional de fazer marketing. Vamos a eles:

Validar aprendizado mais que seguir opiniões e convenções

No evento SprintZero, esse foi o valor mais votado pelos participantes, que queriam deixar claro o caráter não-linear do Agile Marketing. Essa metodologia consiste em um processo circular e constante de validação do aprendizado por meio das etapas de implementar-mensurar-aprender.

Assim, em vez de basear as decisões em convenções do mercado ou em opiniões de quem tem mais poder na hierarquia, essa metodologia trabalha com dados, testes e experimentações.

Esquema metodologia ágil

Colaboração centrada no consumidor mais que isolamento e hierarquia

O Agile Marketing prevê que as equipes trabalhem em colaboração e com foco nas necessidades do consumidor.

Nesse modelo de trabalho, o conhecimento é compartilhado entre a equipe e com outros departamentos (vendas, TI etc.) e as tomadas de decisão são conjuntas, sempre de olho nas demandas do cliente.

No marketing tradicional, por outro lado, podem ocorrer dois problemas: a criação de silos, que isolam o conhecimento e geram uma guerra departamental, e o cumprimento rígido de hierarquias, que burocratizam a comunicação e a tomada de decisões. O marketing ágil quer flexibilizar essas estruturas.

Campanhas adaptativas e iterativas mais que grandes campanhas lineares

O marketing costuma criar campanhas publicidade sob o modelo de desenvolvimento linear (waterfall ou cascata, como vimos antes). O problema é que elas levam um grande orçamento para ficarem no mercado por um longo tempo, sem a previsão de adaptações e correções.

O Agile Marketing, então, propõe uma abordagem não-linear e iterativa, que comece com uma pequena estratégia. O marketing deve implementá-la, aprender com o seu sucesso ou fracasso, ajustar, lançar de novo e continuar aprendendo para aprimorar a estratégia.

O processo de descoberta do consumidor mais que previsões estáticas

As pesquisas de mercado subsidiam o conhecimento sobre o cliente no marketing tradicional. Porém, consumidores são imprevisíveis e podem se comportar de maneiras que as pesquisas não indicam. Por isso, o entendimento sobre o cliente é um trabalho árduo e contínuo.

No Agile Marketing, o aprendizado sobre o consumidor é um processo de descoberta. Ao longo da criação de projetos, é preciso acompanhar os comportamentos, mensurar as respostas às estratégias e aprimorar esse conhecimento. Mais uma vez, o aprendizado cumpre um processo não-linear.

Planejamento flexível mais que planejamento rígido

Agile Marketing exige flexibilidade. Se não, como a empresa vai se adaptar às mudanças do mercado e às respostas dos consumidores às suas estratégias?

Para explicar isso, o manifesto faz uma comparação com uma guerra: assim como planos de batalha não sobrevivem ao contato com o inimigo, planos de marketing também não resistem ao contato com o mercado — uma realidade de mudanças constantes e aceleradas.

Portanto, aquele planejamento anual de 30 páginas não faz sentido em um marketing ágil que se adapta à realidade. No Agile Marketing, ciclos curtos de trabalho demandam um planejamento mais rápido e objetivo, que se adapte ao mercado e permita aprimorar a estratégia continuamente.

Responder às mudanças mais que seguir um plano

Perceba que esse valor é igual ao que o manifesto ágil original traz. Responder às mudanças é necessário tanto no desenvolvimento de softwares quanto no marketing. Afinal, vivemos em um mercado dinâmico, com comportamentos e jornadas de compra imprevisíveis.

Portanto, em vez de seguir o plano de marketing cegamente, o Agile Marketing vê mudanças como parte do processo e como oportunidade para melhorar as estratégias.

Não importa se essa mudança vai alterar todo o planejamento — o importante é se adaptar ao mercado e ganhar vantagem competitiva.

Pequenos experimentos mais que grandes apostas

Imagine que marketing da sua empresa leva meses para planejar uma grande campanha, envolve vários colaboradores no time e dedica boa parte do orçamento anual a ela.

Ao lançar a campanha, porém, o público não adere à abordagem. Se você deixar para avaliar e ajustar a campanha só daqui a um mês, como previsto no planejamento, pode ser tarde demais…

Em vez disso, o marketing ágil propõe que a equipe faça pequenos experimentos em períodos mais curtos. A intenção é provar seu sucesso ou fracasso rapidamente, logo fazer os ajustes e assim melhorar a estratégia sucessivamente para alcançar os melhores resultados.

Esquema experimentos na metodologia ágil

Além desses valores, o manifesto traz também 10 princípios para o Agile Marketing. Embora não tenham sido votados no evento SprintZero, eles foram propostos pelos profissionais envolvidos e também ajudam a nortear o marketing ágil. Eles podem ser traduzidos e resumidos assim:

  1. Priorizar a satisfação do cliente com entregas rápidas e contínuas para resolver problemas;
  2. Abraçar as mudanças e responder rapidamente a elas como fonte de vantagem competitiva;
  3. Entregar programas de marketing com mais frequência, de algumas semanas a alguns meses, de preferência na menor escala de tempo;
  4. Alinhar o marketing com gerência, vendas e desenvolvimento;
  5. Oferecer ambiente, suporte e confiança para manter a equipe motivada;
  6. Entender o aprendizado (implementar-mensurar-aprender) como principal medida de progresso;
  7. Manter um ritmo de desenvolvimento constante e contínuo; 
  8. Aceitar o fracasso e o aprendizado com as falhas;
  9. Ter atenção contínua aos fundamentos de marketing e ao design para aumentar a agilidade;
  10. Simplificar para ter mais eficiência.

Por que adotar o Agile Marketing?

Agora que você já conhece melhor o conceito, vamos entender por que o Agile Marketing vale a pena.

Certamente não é uma mudança da noite para o dia — adotar o Agile Marketing exige transformações de posturas, mentalidades e formas de organização no seu negócio. Mas certamente você vai perceber as vantagens desse processo.

Estas são as principais:

Aumenta a produtividade

O Agile Marketing permite que a equipe alcance mais resultados em menos tempo. Isso se chama produtividade. De acordo com o relatório The State of Agile Marketing, aumentar a produtividade é o principal motivo para adotar o marketing ágil.

Com agilidade nos processos, não se perde mais tempo com reuniões improdutivas ou com projetos que não miram na satisfação do consumidor. A dedicação é total para as soluções que trazem resultados para o negócio.

Traz eficiência

Eficiência consiste em fazer as coisas da melhor maneira. É isso que o Agile Marketing traz para as estratégias: com pequenos experimentos e campanhas iterativas, você consegue identificar falhas e oportunidades de melhoria antes de ganhar o mercado. Assim, é possível chegar aos resultados sem desperdício de recursos.

Mantém o foco no consumidor

Muitas vezes o marketing tradicional olha mais para a marca e os seus produtos do que para o mercado. Porém, temos consumidores cada vez mais informados e exigentes, então é preciso atender às suas demandas e entregar valor a eles.

O Agile Marketing, então, mantém o foco total no consumidor durante todo o processo de criação de campanhas. A maneira como eles respondem às estratégias é o que direciona os ajustes e investimentos futuros, com um caráter de melhoria contínua.

Adapta-se às mudanças

O Agile Marketing abraça as inevitáveis mudanças do mercado. Em vez de fazer planos para 6 meses ou 1 ano, como no marketing tradicional, as equipes ágeis preparam planos flexíveis que podem se adaptar a qualquer momento.

Assim, em vez de ignorar as mudanças ou enxergá-las como problemas, o Agile Marketing procura as oportunidades do cenário para mudar prioridades e adaptar as campanhas rapidamente.

Aumenta o alinhamento da equipe

Equipes ágeis se reúnem constantemente para rever os planos, compartilhar as atividades, fazer testes e mensurar resultados. São reuniões rápidas, geralmente diárias, para manter a equipe alinhada entre si e com as outras áreas da empresa.

Dessa maneira, o marketing ganha transparência, a comunicação interna melhora e o projeto tem melhor visibilidade entre todos.

Fomenta a inovação

Inovação exige agilidade. Ideias, campanhas e produtos inovadores não surgem em estruturadas rígidas e hierarquizadas, nem podem ficar presos em processos burocráticos de aprovação e tomada de decisão.

Para inovar, é preciso ter colaboração, autonomia, foco no consumidor e rápida adaptação ao mercado — tudo o que o Agile Marketing traz.

Colabora para a transformação digital

A transformação digital também exige agilidade. Quando se fala nesse processo, não estamos falando apenas de ferramentas ou tecnologia.

Estamos falando de uma transformação que insira a empresa na velocidade da era digital. Com as metodologias ágeis, portanto, a empresa entra nesse ritmo.

Frameworks de Agile Marketing

Frameworks de Agile Marketing são modelos de trabalho que permitem aplicar e gerenciar a metodologia ágil na prática.

Eles têm o papel de organizar a estrutura e as atividades do marketing para garantir agilidade em um ambiente que costuma ser caótico, com prazos estourados, ideias em profusão e comunicação ruidosa.

Os frameworks que são usados no marketing derivam daqueles usados no desenvolvimento de softwares. Observe como funciona na prática e como você pode adaptar ao seu departamento de marketing:

Scrum

Scrum talvez seja o framework mais conhecido e usado nas metodologias ágeis. As equipes Scrum trabalham com ciclos curtos de 1 a 4 semanas (chamados de sprints) em que os feedbacks do mercado são usados para aprimorar campanhas e produtos.

Uma das prioridades do Scrum é a colaboração. A metodologia prevê encontros diários (chamados de stand up) para compartilhar as atividades de cada membro, o que gera transparência e melhora a comunicação.

Além disso, os profissionais de marketing trabalham em times dedicados e integrados, não apenas entre si, mas também com outros setores.

Para organizar esse trabalho, a equipe é dividida em três diferentes papéis:

  • Product owner (profissional que tem a visão geral da campanha ou produto para direcionar cada sprint);
  • Membros do time (equipe de 5 a 9 profissionais multidisciplinares);
  • Scrum Master (profissional especializado na metodologia e focado no processo).

Além disso, a metodologia Scrum costuma usar ferramentas visuais para facilitar o acompanhamento das atividades por todos os membros. Basicamente, são usados os seguintes recursos:

  • Product backlog (lista as ambições da equipe e como pretende chegar lá);
  • Sprint backlog (lista os projetos e prazos que precisam ser cumpridos a cada sprint);
  • Scrum board (mostra as atividades de cada membro e o seu status atual no sprint).

Então, na prática, são realizados quatro tipos de reunião em cada sprint durante o processo de criação de uma campanha ou produto. Assim, elas compõem um processo iterativo baseado em feedbacks, em que os objetivos vão sendo alcançados passo a passo. São elas:

  1. Sprint planning (define os objetivos do sprint e seus responsáveis);
  2. Stand up meetings (verificam se as atividades estão de acordo com o planejamento);
  3. Review (entrega os resultados do sprint e os feedbacks da equipe e do mercado);
  4. Retrospectiva (avalia o processo e como pode melhorar no próximo sprint).

Talvez você já tivesse escutado algumas dessas palavras, mas não sabia o que significavam, não é? Pronto, agora você já sabe os principais métodos e conceitos do Scrum para adaptar ao seu negócio.

Neste vídeo, você pode ver todo esse processo explicado de maneira visual (em inglês):

Kanban

Kanban é uma metodologia visual de gestão de processos. Essa palavra tem origem japonesa e pode ser traduzida como “painel”.

Esse painel consiste em um quadro (conhecido como Kanban Board) que permite facilmente visualizar todo o fluxo de trabalho. Para muitas empresas que já utilizam esse método, ele consiste em um quadro de post-its na parede ou de cards online.

Esse quadro é o que a torna simples e acessível. Ele é dividido em colunas que representam os passos de um projeto. No Marketing de Conteúdo, por exemplo, ele poderia se dividir em pesquisa, planejamento, redação, design, edição, revisão, promoção, mensuração e otimização.

Em um modelo simples, poderia ser dividido apenas em:

  • A fazer;
  • Em progresso;
  • Finalizado.

Para cada passo, o quadro deve informar as tarefas necessárias e os responsáveis por elas. À medida que as tarefas mudarem de status, elas são movidas pelo quadro, da esquerda para a direita.

O quadro pode ainda incluir um backlog de tarefas que ainda não estão prontas para serem trabalhadas (em alguns casos, funciona como um brainstorm).

Dessa forma, o Kanban oferece uma visão dinâmica do todo, permite gerenciar facilmente as tarefas, proporciona transparência para toda a equipe e ainda ajuda a manter o foco nas prioridades.

Além disso, o quadro elimina a necessidade de várias reuniões que serviriam apenas para atualizar a equipe sobre o andamento das atividades.

Mas Kanban não é apenas um quadro de tarefas. Kanban é uma metodologia ágil que vai além da ferramenta e pressupõe um fluxo contínuo de trabalho, autonomia e comprometimento dos colaboradores e adaptação às mudanças a qualquer momento.

Portanto, é diferente do Scrum, que é feito de sprints regulares, papéis pré-definidos e adaptações somente ao final dos sprints. Por ser mais simples, muitas vezes o Kanban é o primeiro passo das empresas nas metodologias ágeis.

No vídeo abaixo, você pode ver uma explicação dessa metodologia (em inglês):

Scrumban

Scrumban, como o nome pressupõe, é uma combinação das metodologias Scrum e Kanban. Em geral, consiste na adoção dos passos e conceitos do Scrum com a metodologia visual do Kanban.

Assim, o quadro de tarefas é usado para visualizar as tarefas de cada sprint, de maneira que os times tenham uma visão ampla e simplificada do andamento do projeto.

Cabe à empresa, então, definir como organizar os times e se há papéis pré-definidos (como o product owner e o scrum master).

Quem utiliza o Scrumban geralmente quer ter um pouco mais de flexibilidade na adoção do Scrum ou está em transição de uma metodologia ágil menos madura para uma mais madura.

Lean

Lean é um framework de metodologia ágil focado em simplificar processos. A palavra “lean” pode ser traduzida como “enxuto”, o que ajuda a entender a proposta da metodologia: tornar os processos mais enxutos para usar apenas o tempo e os recursos necessários.

O Lean é indicado para empresas e projetos pequenos e mais objetivos. Não por acaso, ganhou força no universo das startups, que têm equipes enxutas e recursos escassos e precisam escalar o seu negócio rapidamente.

Para isso, a metodologia pressupõe a eliminação de desperdícios e redução na complexidade das tarefas, sem perder a qualidade e o foco na satisfação do consumidor. A mentalidade aqui é agir rapidamente, iterar com frequência e entregar valor.

Isso deve acontecer por meio do processo constante de validação do aprendizado que explicamos antes — implementar-mensurar-aprender —, sem medo dos fracassos. Reuniões rápidas de feedback ajudam a alinhar a equipe e aprimorar os processos.

Dessa maneira, o Lean se adapta rapidamente às respostas do mercado e facilita a inovação.

Como funciona o Agile Marketing na prática

Na prática, a maioria das empresas adota modelos híbridos. Segundo o relatório The State of Agile Marketing, 54% dos profissionais de marketing ágil usam alguma combinação entre os frameworks.

Scrumban é um exemplo, mas existem outros modelos híbridos. Você também pode combinar Scrum e Lean, Kanban e Lean ou até utilizar um pouco dos três frameworks principais. O que importa é adaptar à sua realidade.

Equipe

Você já começa a adaptar o framework quando pensa no tamanho da sua equipe. O Scrum, por exemplo, diz que os times devem ter no máximo 9 pessoas — então, você decide se usa um framework mais flexível ou adapta o tamanho da equipe envolvida.

Esse time deve ser formado por profissionais multifuncionais e auto-organizados, que serão responsáveis pelas entregas ao final de cada sprint do Scrum ou de cada etapa do Kanban.

Além disso, no Scrum, você também deve definir um Product Owner e um Scrum Master. Mas, se optar por um modelo híbrido, esses papéis não precisam ser pré-definidos. Geralmente eles são exercidos pelo gerente de marketing ou até pelo dono do negócio.

No Agile Marketing, o P.O. pode ser um Marketing Owner, ou seja, aquele profissional que tem uma visão clara da estratégia. É ele quem define o product backlog (ou marketing backlog) e o sprint backlog, com as prioridades e entregas desejadas.

Se houver um bom alinhamento, os backlogs podem ser criados em conjunto na reunião de sprint planning.

Já o Scrum Master é o braço direito do Marketing Owner. É ele quem entende mais sobre o framework, busca as melhores alternativas e mantém a equipe engajada no processo.

Sprints

Na criação de uma campanha de Google Ads, por exemplo, o product backlog pode trazer tarefas como a criação dos anúncios e da landing page. Já um sprint backlog pode definir a pesquisa de público-alvo, a criação do texto e do layout da página como principais entregas.

Então, ao longo do sprint, o time vai executar as ações incluídas no sprint backlog para atingir os objetivos definidos pelo Marketing Owner. Não há uma regra, mas os sprints podem durar uma semana, 15 dias, no máximo um mês.

Nas reuniões de stand up diárias, a equipe compartilha o andamento das suas atividades junto ao Scrum Board (ou pelo Kanban Board, conforme a sua opção). Nesse momento, cabe ao Scrum Master eliminar barreiras e colocar a equipe no caminho das entregas do sprint.

Então, ao final do sprint, é realizado o review, que levanta os feedbacks do mercado e possíveis adaptações à campanha. Se o texto do anúncio não teve um bom feedback, por exemplo, ele pode entrar no backlog do próximo sprint.

Depois disso, ainda é realizada a retrospectiva, uma reunião que proporciona a autoavaliação da equipe e de cada membro e gera um plano de melhorias para o próximo sprint. Perceba, então, como o processo adota uma mentalidade de melhoria contínua para gerar as melhores entregas.

Perceba também que os frameworks não são rígidos, nem funcionam da mesma forma para todo mundo. Eles devem ser usados como for melhor para a sua equipe, o tamanho do negócio, a sua cultura organizacional e o momento da sua empresa. É por isso que muitas empresas mesclam as propostas.

Além disso, ao conhecer os frameworks de Agile Marketing, perceba que a metodologia não pode ficar só no discurso da gestão do marketing, nem se limitar ao uso de ferramentas avulsas ou de quadros de post-its no escritório. É preciso adotar métodos que viabilizem a sua aplicação prática no fluxo completo do marketing.

Ferramentas auxiliares para o Agile Marketing

Falamos antes sobre o quadro de post-its, não é? Essa ferramenta costuma ser bastante usada pelas empresas (mesmo por aquelas que sequer sabem o que é Kanban ou metodologias ágeis…). Ela é muito simples e visual, por isso faz bastante sucesso.

Mas essa não é a única ferramenta que você pode usar no Agile Marketing. Uma vez que o quadro de post-its é um recurso físico, ele exige um acompanhamento presencial.

Porém, a adoção do home office por muitas empresas e a mobilidade dos colaboradores demandam ferramentas online que permitam a visualização e a colaboração remotas.

Então, vamos citar agora algumas ferramentas digitais que vão ajudar você a implementar as metodologias ágeis e controlar os projetos de marketing de maneira mais inteligente. Confira:

iClips

iClips kanban

iClips é uma ferramenta que ajuda a gerenciar projetos de maneira visual e colaborativa. Amplamente usada por agências, a ferramenta . é extremamente completa e ainda atende equipes de marketing in-house.

Com opções de visualização no modelo Kanban, o iClips permite que você crie e visualize projetos e tarefas suas ou de toda a equipe, de modo que seja possível integrar a sua estratégia , preenchendo gaps de comunicação e alinhamento que possam vir a ocorrer.

Você pode convidar todos os colaboradores que participam do projeto, de maneira que possam visualizar o andamento e movimentar os cards conforme mudarem o status das tarefas.

A ferramenta permite ainda adicionar observações aos cards, definir prazos de entrega, criar briefings, anexar documentos entre outros recursos.

Planilhas do Google

Google Sheets

Planilhas são a solução para diferentes áreas de trabalho. Elas servem também para o Agile Marketing, se você quiser fazer a gestão do projeto de maneira mais rudimentar, mas totalmente customizada.

Para fazer isso, prefira o Google Sheets (ou Planilhas do Google), que armazena os arquivos na nuvem e permite compartilhar com a equipe. Lá você pode criar um Scrum ou Kanban Board para visualizar as atividades de cada membro e o andamento do projeto como um todo.

Slack

Slack

O Slack é uma ferramenta de comunicação que pode ajudar muito no Agile Marketing. Afinal, quem trabalha nesse setor sabe como as conversas podem ficar confusas em trocas de emails ou mensagens por WhatsApp.

A proposta do Slack, então, é organizar a comunicação entre equipes de trabalho com uma ferramenta profissional. A ferramenta agrupa todas as mensagens em um só lugar, armazena o histórico e permite criar canais para diferentes projetos e setores.

Armazenamento na nuvem

Um trabalho colaborativo só é possível se os dados, arquivos e documentos forem facilmente compartilhados entre os integrantes da equipe, mesmo se estiverem à distância.

Se antes isso só era possível com o uso de disquetes (!) e pendrives, hoje existem os softwares de armazenamento na nuvem, como Google Drive, Dropbox e OneDrive.

Eles permitem criar pastas e arquivos compartilhados e trabalhar em conjunto em tempo real. Além disso, podem ser integrados com outros programas, como o Trello e o Slack. Dessa maneira, o trabalho ganha qualidade e agilidade.

Agora, perceba que o Agile Marketing vai muito além das ferramentas, que talvez você até já use mesmo sem ainda saber o que é uma metodologia ágil. Mas agora você já sabe o que é e como funciona.

Está claro que o Agile Marketing é uma metodologia de trabalho que exige mudanças de cultura, mentalidade e procedimentos. É preciso entender a fundo, escolher o framework mais adequado ao seu negócio e envolver a equipe nessas mudanças.

Não é uma transformação que acontece de uma hora para outra, mas em pouco tempo você pode perceber o impacto na agilidade do marketing em responder à realidade do mercado.

Agora, aproveite para ler o nosso ebook gratuito sobre Orçamentos de Marketing, que vai te ajudar a usar o budget da empresa com mais eficiência. Boa leitura!



Fonte



Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


Lima & Santana Propaganda

Os comentários estão encerrados.