o que é e como divulgar seus conteúdos nele?

como posicionar marcas com eficácia?
junho 29, 2020
Show all

o que é e como divulgar seus conteúdos nele?

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

Se você planeja suas estratégias de SEO apenas para posicionar seu site nos resultados da busca, saiba que agora você tem um novo espaço para explorar.

Em busca da melhor experiência para as pessoas, que é o seu grande objetivo, o Google criou um feed de conteúdos, que apresenta novas páginas aos usuários de acordo com os seus interesses sem que eles precisem fazer uma pesquisa no buscador.

Essa novidade é chamada de Google Discover e guarda boas oportunidades para quem quer mais resultados com o Google.

E quando falamos sobre mais resultados, queremos dizer que sem grandes otimizações, nosso blog conquistou mais de 35 mil cliques em apenas um mês, além de mais de 1 milhão de novas impressões ao longo de 3 meses.

E queremos que você também possa aproveitar todas as vantagens dessa ferramenta. Pensando nisso, neste artigo vamos desvendar esse recurso para que você usá-lo nas suas estratégias de SEO.

Veja tudo o que vamos abordar:

Acompanhe agora e saiba tudo sobre essa novidade!

O que é Google Discover?

Google Discover é um recurso do Google para dispositivos móveis que oferece conteúdos aos usuários com base nos seus interesses, sem que eles precisem fazer uma pesquisa.

Artigos no Google Discover

Até agora, o Google sempre foi reativo, certo? O usuário digita uma palavra-chave, e só então o buscador oferece links como resposta na página de resultados da busca.

Esse serviço do Google continua igual. Só que agora o buscador quer melhorar a experiência do usuário com uma postura ativa e preditiva. O objetivo é se antecipar à intenção de busca e sugerir conteúdos que os usuários provavelmente vão gostar.

Para isso, o Google criou um feed — o Google Discover — que funciona como uma central de conteúdos para os interesses dos usuários.

Esse recurso foi lançado em 2018, alinhado às mudanças anunciadas pelo buscador para os seus próximos 20 anos.

Uma delas foi a mudança das consultas para uma forma de obter informações sem precisar de consultas. Ou seja, o buscador quer oferecer conteúdos relevantes para os usuários, mesmo quando eles não têm uma busca específica em mente. Então, o Google Discover representou o principal movimento nesse sentido.

Antes disso, em 2017, o buscador já havia lançado o Google Feed, que também apresentava conteúdos e notícias relevantes. Mais adiante, esse recurso foi aprimorado, agregou novos tipos de conteúdos, ganhou novo nome e visual e se transformou no Google Discover. 

Com isso, o Google extrapola o status de ferramenta de pesquisa e passa a oferecer novas experiências de descoberta.

Como o Google Discover funciona?

Talvez você já esteja se perguntando: “onde está esse recurso que eu nunca vi!?”. Se você olhar no desktop, não vai encontrar, pois o Google Discover só está disponível no mobile.

Pelo smartphone, atualmente você pode acessar o Google Discover de três formas:

No menu inferior, você vai encontrar uma aba chamada Discover, representada pelo símbolo de um asterisco. É ali que se encontra o feed.

Você pode rolar pelo feed como nas redes sociais. Os conteúdos são exibidos em cartões, formados por uma imagem, o título, o trecho inicial, a fonte e a data de publicação. Ao tocar no cartão, o usuário é direcionado à página do conteúdo. Veja abaixo um exemplo:

Artigos no Google Discover

Os conteúdos que aparecem no feed geralmente são atuais, com publicações de algumas horas ou dias atrás. Mas o Google também pode exibir algum conteúdo antigo que faça sentido para o usuário.

Além disso, os conteúdos do Discover também podem incluir vídeos, placares esportivos, previsão do tempo, preços de ações, atrações de um festival de música, lançamentos de filmes e muitos outros. Para cada conteúdo, o Google vai escolher o formato mais adequado.

Mas como o Google sabe quais são os seus interesses e quais conteúdos você mais gostaria de receber? Oras, o Google sabe tudo o que você pesquisa no buscador! Todas essas pesquisas representam assuntos que rondam a sua vida e que o Google entende que são relevantes para você.

Mas não é só isso — se você permitir, o Google pode acessar uma infinidade de informações sobre as suas interações na internet. Veja o que o Google pode usar para personalizar os conteúdos do Google Discover:

  • Atividades na web e de apps: inclui o uso da Pesquisa do Google, o histórico do Chrome, atividades em sites, apps e dispositivos que usam serviços do Google, gravações de áudio e voz, dados de contatos dos dispositivos.
  • Histórico e configurações de localização: inclui os locais em que você esteve, bem como a localização da sua casa e trabalho.

Tudo isso compõe os algoritmos que determinam quais conteúdos devem aparecer no Google Discover para cada usuário, de forma totalmente personalizada. 

Além disso, o Google entende que não acerta sempre. Por isso, o app conta com a colaboração do usuário para criar um feed de conteúdos mais relevante. Para isso, o usuário tem várias opções de personalização do feed.

No próprio cartão da página no app, o usuário pode informar se deseja receber mais ou menos conteúdos como aquele ou se um card mais antigo é útil naquele momento.

Opção para personalizar resultados do Google Discover
Personalização dos cards do Google Discover
Marcar card Google Discover como útil ou não

Você também pode dizer ao Google quais temas interessam a você. Para determinados assuntos que você pesquisa no Google, o buscador exibe o botão Seguir. Se você clicar nele, vai passar a receber conteúdos dentro desse tema.

Usamos como exemplo uma busca por “receitas”, para a qual o Google exibe uma seleção de “Descobertas interessantes”. Ao expandir essa seção, você pode ver as dicas de artigos do Google Discover e passar a seguir o tema.

Descobertas interessantes na SERP do Google
Seguir tópico na SERP do Google
Confirmação de pedido para seguir tópico no Google

O app também oferece a opção de Gerenciar Interesses, para que você veja todos os assuntos que está seguindo e escolher se deseja ocultar algum deles.

Por que otimizar conteúdos para o Google Discover?

Então, agora você já sabe como funciona o Google Discover. Como usuário, já pode aproveitar as sugestões de descobertas do aplicativo! Mas como profissional de marketing, você já percebeu que pode aproveitar esse recurso nas estratégias de SEO?

Aparecer nas descobertas do Google é mais uma chance de aumentar a visibilidade das suas páginas e gerar mais tráfego orgânico para o site.

O potencial de alcance é grande: quando o Google Discover foi lançado, o anúncio oficial informava que o Google Feed já tinha 800 milhões de usuários mensais.

A HubSpot relata que alguns sites perceberam picos de acesso por dispositivos móveis em 2019. Ao investigar o motivo, perceberam que grande parte da origem dos acessos era o Google Discover.

No caso do site da Vogue, por exemplo, os acessos via Discover chegaram a superar o tráfego pela busca orgânica.

Em nosso próprio blog já observamos isso. Conteúdos que haviam sido postado há poucas horas começaram a performar em nosso top 10 de conteúdos mais acessados em tempo real. E isso já aconteceu com notícias, guias completos e vários outros tipos de conteúdo.

Além disso, um dos diferenciais do Google Discover para ganhar esse destaque é que ele é totalmente otimizado para mobile. Com o crescimento constante do uso de dispositivos móveis, é de se esperar que os acessos pelo app aumentem.

Outra vantagem de otimizar os conteúdos para o Discover é que o app cria uma relação mais próxima com o usuário. Vamos explicar melhor.

A pesquisa do Google só é usada quando o usuário tem uma demanda e quer tirar uma dúvida. O Google Discover, por sua vez, não é ativado por uma necessidade imediata — o usuário vai até lá para rolar o feed, descobrir novos conteúdos e se informar, como se estivesse em uma rede social.

Portanto, o uso desse recurso pode se tornar um hábito e gerar uma fidelidade do usuário. Se as suas páginas costumam aparecer no feed para ele, a sua marca se associa a esse hábito e se mantém sempre presente no dia a dia da pessoa.

É claro que, para isso, você precisa sempre ter conteúdos relevantes para o usuário e oferecer uma boa experiência no seu site, para que ele queria que suas páginas continuem aparecendo no feed. É sobre isso que vamos falar agora.

Como otimizar para o Google Discover?

O sistema de pesquisa do Google já é alvo de interesse e estudos por especialistas do mercado há muito tempo. É por isso que já desvendamos muitos fatores de rankeamento e já sabemos muitos caminhos para otimizar as páginas com SEO.

Por outro lado, pouco se sabe sobre o Google Discover. A iniciativa é relativamente nova, surgiu em 2018 e ganhou mais relevância em 2019. As marcas estão começando a perceber seu potencial, enquanto alguns estudos começam a ser realizados para entender os critérios de recomendação do Google.

O que sabemos — e que o próprio Google revela nesta página — é que o feed do Discover é montado e classificado com conteúdos que o buscador entende que sejam relevantes para cada usuário.

Portanto, entendemos que para otimizar para o Google Discover, esta é a orientação principal para o seu Marketing de Conteúdo: produzir conteúdo relevante pensando no usuário.

Basicamente, o seu conteúdo precisa responder as dúvidas e se alinhar aos interesses da sua persona. Além disso, deve seguir as diretrizes do Google, que primam pela qualidade da experiência do usuário e condenam as práticas de black hat.

Nada diferente do que sempre falamos sobre as estratégias de SEO, certo? Se você já está fazendo isso na otimização para a SERP, continue fazendo na otimização para o Discover.

A diferença aqui é que o Google vai se antecipar à intenção de busca e trazer a resposta antes mesmo que o usuário precise fazer uma pesquisa.

Ainda assim, existem algumas orientações específicas para potencializar as suas chances de aparecer no feed dos usuários, que foram as que usamos para conquistar todos os resultados mencionados no início desse post.

Agora, veja quais são essas principais dicas de otimização para o Google Discover: 

Utilize imagens de alta qualidade

Essa é uma recomendação do próprio Google. Na página de suporte do Google Discover, há apenas duas orientações para ter melhor desempenho: produzir conteúdos relevantes e usar imagens de alta resolução.

Isso se deve ao fato de que o Google seleciona uma imagem para compor o cartão da página no feed. Mas ela pode aparecer em destaque ou miniatura, dependendo da resolução usada pela página.

De acordo com o buscador, usar imagens grandes em vez de miniaturas no cartão provoca aumentos de 5% na taxa de cliques, 3% no tempo gasto nas páginas e 3% na satisfação do usuário. Então, para ativar imagens grandes no feed do Google Discover, você deve:

  • Usar imagens de alta resolução (pelo menos 1200px de largura);
  • Conceder ao Google o direito de exibir sua imagem aos usuários (use o formato AMP ou preencha este formulário).

Otimize as páginas para mobile

O Google Discover só está disponível em dispositivos móveis. Já imaginou se um artigo do seu blog é recomendado no feed, mas ninguém consegue ler o conteúdo porque ele não se adapta à tela? Assim fica difícil conquistar a satisfação do usuário.

Embora o Google não reconheça, é provável que ele analise os sinais do usuário para saber se a sua página oferece uma boa experiência. E se ele acessa o conteúdo e logo fecha a página, isso pode ser um mau sinal que leve o Google a não recomendar mais a sua página no feed.

Então, otimize para o mobile. Para isso, você pode criar páginas responsivas ou AMP. As páginas AMP tendem a ganhar prioridade, porque elas têm tudo o que o Google quer para oferecer uma boa experiência: são otimizadas para dispositivos móveis e carregam mais rápido. Elas são identificadas no feed com o símbolo de um raio.

Páginas AMP no Google Discovery

Siga as políticas de conteúdo do Google Notícias

O Google recomenda também que os sites sigam as políticas para notícias, de maneira que os conteúdos sejam confiáveis para o usuário.

Não é necessário incluir tags ou dados estruturados para isso. Basta que você siga diretrizes como criar conteúdos originais, informar quem produziu o texto, oferecer seus dados de contato, não praticar spam, ter os direitos autorais e não incentivar violência, ódio, bullying, prejuízo à saúde ou atividades ilegais.

Faça uma combinação de assuntos frescos e conteúdos evergreen

Uma pesquisa do Search Engine Journal identificou que a maior parte dos conteúdos (46%) do Google Discover são notícias. Mais que isso: as notícias ganham 99% dos cliques dos usuários.

Pesquisa sobre o Google Discover
Cliques no Google Discover por indústria

Aí está uma grande oportunidade para aumentar o tráfego dos portais de notícias. Porém, se você não é uma empresa de mídia e trabalha com outras indústrias, como aproveitar o Google Discover nas suas estratégias de conteúdo?

Mesmo que o Google priorize notícias recentes no Discover, nada impede que ele mostre ao usuário algum conteúdo mais antigo, desde que ele seja relevante e faça sentido naquele momento. Então, a dica é mesclar conteúdos frescos e evergreen nas publicações do blog.

Entre os conteúdos frescos, você pode falar sobre novidades do seu mercado, assuntos em alta, notícias sobre seu próprio negócio, além, é claro, de manter a frequência de posts para sempre ter conteúdo novo no blog.

Esse tipo de conteúdo tende a aparecer mais, mas também costumam ter vida rápida no feed — uma janela de 3 a 4 dias com chances de aparecer por lá.

Um belo exemplo do nosso blog foi a notícia sobre “Facebook Shops”, lançada em maio, que gerou bastante tráfego por meio do Google Discover, foram mais de 14 mil impressões e cerca de 1300 cliques em apenas 5 dias!

Case "Facebook Shops" no Google Discover

Já entre as publicações evergreen, que “não envelhecem”, é importante criar conteúdos de alta qualidade, relevância e aprofundamento sobre temas que você domina.

Eles tendem a aparecer menos no feed, mas têm uma janela maior de meses ou até anos com chances de serem recomendados pelo Google.

Um exemplo de sucesso usando esse tipo de conteúdo mais perene é com o nosso post sobre Estratégia Kernel, que trabalha conceitos mais aprofundados de marketing e tem toda uma diferenciação.

Apenas no Discover, conquistamos em um único dia 21.000 impressões e cerca de 600 cliques.

Resultados texto "estratégia Kernel" no Google Discover

Nesse caso, apesar do número de impressões ter sido muito amplo, observamos também que o CTR foi um pouco mais baixo, e pode se relacionar com o fato de ser um conceito novo, ou também por não termos evidenciado de forma tão clara sobre o que se tratava o artigo.

Com esse aprendizado, seguimos otimizando esse material, testando outros SEO titles, H1 e descrições para verificar o que é capaz de atrair mais esse usuário — lembrando sempre que o trabalho de SEO requer constância (bem, muita constância) para manter os bons resultados.

Descubra os temas abrangentes que interessam à persona

A escolha dos links que vão aparecer no feed do Google Discover se dá em torno de interesses dos usuários. Eles são agrupados em palavras-chave amplas, que representam temas abrangentes, como:

  • Hobbies (ex.: camping, games, receitas);
  • Esportes (ex.: futebol feminino, seleção brasileira);
  • Entretenimento (ex.: Game of Thrones, Lady Gaga);
  • Negócios (ex.: Marketing Digital, contabilidade)
  • Marcas (ex.: Apple, Banco do Brasil).

Dificilmente os interesses dos usuários serão representados por palavras-chave de cauda longa. Portanto, procure entender quais são os interesses amplos dos usuários (e as respetivas palavras-chave) que coincidem com temas que permeiam a sua empresa e o seu mercado. É sobre eles que você deve falar no seu blog.

Desenvolva uma estratégia de topic clusters

Uma estratégia de topic clusters consiste em definir um tema abrangente para tratar em um conteúdo “pilar” e produzir conteúdos “satélites” que direcionem links para ele e fortaleçam a autoridade do post principal.

No caso da otimização para o Google Discover, a intenção é fortalecer o seu site para um ou mais assuntos amplos. Como falamos, você deve definir quais são os temas abrangentes que o seu negócio pode abordar.

Então, faça um planejamento de posts satélites, sobre temas específicos dentro do “guarda-chuva” do assunto principal. Dessa forma, você fortalece o conteúdo pilar dessa estratégia e se torna uma autoridade naquele tema, que representa um interesse.

Se você é referência em um interesse do usuário, seus conteúdos têm mais chances de aparecer no Google Discover.

Publique mais vídeos no YouTube

O Google gosta de vídeos — e os usuários também. Não é por acaso que o buscador comprou o YouTube e tem dado mais ênfase aos conteúdos em vídeo nos resultados da busca.

O mesmo acontece no Google Discover: grande parte dos conteúdos recomendados são vídeos. Além disso, vídeos do YouTube têm autoplay. Ou seja, eles rodam automaticamente no feed, ganham destaque e tendem a atrair mais cliques do que os outros cartões.

Vídeos no Google Discover

Portanto, explore o YouTube. Desenvolva uma estratégia de vídeos para aproveitar um dos formatos que é mais consumido atualmente, gera engajamento e ainda ajuda a aparecer no Google Discover.

Como mensurar os resultados?

Será que os seus artigos já aparecem no Google Discover? Quantos visitantes você recebe de lá? Qual é a taxa de cliques das suas páginas no feed? Se você já está se fazendo essas perguntas, saiba que é possível encontrar as respostas no Google Search Console.

A ferramenta oferece um relatório específico sobre o Google Discover. As métricas mostram impressões, cliques e CTR dos conteúdos que apareceram no feed nos últimos 16 meses. Só que você só verá os números se os conteúdos atingirem um limite mínimo de impressões. Entenda melhor como funciona o relatório de desempenho do Discover.

Relatório de desempenho Google Discover

O Google Analytics, em contrapartida, não tem um relatório dedicado à ferramenta. Você poderia ver o Google Discover entre os canais de origem do tráfego, porém o Google contabiliza as visitas desse canal em tráfego orgânico e, de acordo com algumas especulações da internet, como “googleapis.com” no tráfego de referral.

Talvez o Google Analytics melhore essa informação à medida que o Discover se torne mais usado, mas ainda não há planos para isso. Por enquanto, fique com o Google Search Console.

Embora o Google Discover esteja no começo da sua história, ainda sendo conhecido por marcas e usuários, ele já significa uma boa oportunidade. Com esse recurso, você já pode ganhar mais visitas orgânicas e aumentar a fidelidade dos usuários ao seu site.

É interessante perceber como o Google Discover aponta para onde a web, as buscas e as plataformas digitais estão caminhando: um conteúdo cada vez mais visual, personalizado, preditivo e mobile. Então, é nesse sentido também que a sua presença online deve seguir.

Agora, se você gostou de saber como otimizamos nossos conteúdos, aproveite para ler também sobre o que fazemos para gerar mais de mil pedidos de orçamento por mês. Baixe agora o ebook com o passo a passo completo!



Fonte



Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


Lima & Santana Propaganda

Os comentários estão encerrados.