o que é e 4 táticas para colocar em prática

Como organizar o fluxo de caixa da sua empresa depois da crise
julho 17, 2020
o que sentem os leads e como ajudá-los?
julho 21, 2020
Show all

o que é e 4 táticas para colocar em prática

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

Todo gestor deseja que a sua empresa seja, no mínimo, competitiva, certo? A transformação digital, porém, exige cada vez mais das empresas e é preciso aproveitar os seus recursos de maneira inteligente para alcançar melhores resultados.

Uma das formas mais eficientes de alcançar esse objetivo é consolidar a cultura de dados dentro da sua organização.

Afinal, informações valiosas são geradas constantemente para os negócios, e é preciso aproveitá-las da maneira correta. Não basta armazenar os dados, é importante transformá-los em ações e estratégias que sejam relevantes para as metas da sua empresa.

Seja para conhecer mais sobre a sua persona, seja para avaliar a concorrência, os dados são essenciais para o seu sucesso.

Mas você sabe o que deve ser feito para colocar essa estratégia em ação? A seguir, vamos abordar os seguintes tópicos:

Quer saber mais? Continue a leitura para conferir!

Qual é o cenário atual no mercado corporativo?

Por muito tempo, os líderes e gestores das empresas tomavam as suas decisões com base em achismos e opiniões, quase sempre sem fundamento.

A partir das suas experiências anteriores, definiam as melhores estratégias e ações para as suas equipes seguirem. O mercado mudou e, agora, a mentalidade data-driven está em alta, exigindo adaptações por parte das companhias.

Essa tendência é válida para os mais variados setores de uma empresa. De acordo com um estudo da Gartner, em média, 9,2% do orçamento para o Marketing de uma companhia são destinados ao trabalho de análise de dados.

O mesmo levantamento ainda mostra que 81% dos profissionais da área acreditam que a maioria das suas decisões vão ser tomadas a partir de dados em 2020.

Para 76% desses profissionais, essa já é a realidade. Ou seja, não basta ter o melhor produto e/ou serviço ou o preço mais competitivo do mercado.

É necessário ser preciso em suas comunicações e mensagens, compreendendo melhor o seu público-alvo. Não existe melhor maneira de se fazer isso do que apostar na utilização dos dados para aprimorar as suas ações.

Segundo relatório da NewVantage Partners, os investimentos em Big Data abaixo de US$50 milhões reduziram de 60,5% das empresas, em 2018, para 35,2%, em 2020.

Todo o mercado está se adaptando e a sua companhia deve acompanhar essa tendência. Com os dados valiosos em mãos, é possível abordar o cliente com a mensagem certa para etapa da jornada de compra.

Com o fortalecimento do Marketing 4.0, consolidar a cultura de dados na sua organização se torna uma necessidade. Para conectar a sua marca com os consumidores de maneira efetiva, o uso de dados precisa se tornar uma rotina na sua empresa.

Desde a definição da melhor landing page para anunciar um ebook até a CTA de uma campanha de mídia paga, os dados são a realidade.

Qual é a importância de consolidar a cultura de dados na sua empresa?

Quais são as razões para tornar essa prática tão importante? Listamos os principais motivos para que você não deixe de investir na consolidação de uma cultura de dados.

Veja!

Personalização das estratégias

A personalização das suas ações e estratégias de Marketing Digital é a principal vantagem. A partir da análise dos dados e informações sobre o comportamento do consumidor, é possível adequar o seu plano de Marketing.

Aos poucos, é possível oferecer uma experiência mais positiva ao usuário em diferentes frentes.

Uma estratégia de email marketing, por exemplo, pode ser executada de forma mais precisa. O horário ideal para enviar a mensagem ou até a CTA mais propícia para aquele usuário.

A partir da personalização, as suas campanhas de comunicação se tornam mais eficientes. Para quem deseja se aproximar dos clientes e investir na fidelização, é uma forma de acelerar o processo.

Redução de desperdícios

Com um embasamento técnico para tomar as suas decisões, a redução de desperdícios também se torna muito maior.

Em vez de perder tempo — e recursos —, por exemplo, com a presença online em uma rede social sem tanta relevância para a sua audiência, o seu foco vai para o que realmente pode gerar resultados. Para quem trabalha com orçamentos apertados, pode ser a solução ideal.

Maior satisfação dos usuários

A satisfação dos usuários também deve ser uma prioridade, certo? Como fazer isso? Conhecendo a fundo o comportamento, preferências e desejos do consumidor.

Com dados embasando as suas táticas e estratégias, a tendência é que a experiência dele seja cada vez melhor. Seja acessando um e-commerce com usabilidade e as funcionalidades que ele precisa, seja com ofertas ideais.

Mais conversões

Ao adotar uma cultura data-driven, um dos grandes benefícios também é o maior poder de conversão das suas estratégias. Desde o trabalho de geração de leads — cada vez mais qualificados — até a abordagem mais adequada e precisa pela equipe de vendas.

Primeiramente, os leads atraídos para as suas páginas vão ser muito mais qualificados, ou seja, com maiores chances de conversão.

Além disso, é possível acompanhar a jornada de compra nos mínimos detalhes. Aliando essa prática ao entendimento do que o consumidor deseja em cada etapa do funil de vendas, os profissionais da sua empresa se tornam mais precisos em suas abordagens.

Novas oportunidades

Além disso, consolidar a cultura de dados vai facilitar o surgimento de novas oportunidades para o seu negócio. As oportunidades aparecerão a partir da análise não apenas do comportamento do consumidor, mas também, da sua concorrência, por exemplo.

Com informações sobre o feedback e a satisfação dos usuários com determinado serviço e/ou empresa, é possível encontrar novas possibilidades.

Essa é uma maneira de nunca estagnar e se acomodar. Em longo prazo, permite que a sua empresa faça as adaptações necessárias para sempre entregar um diferencial ao consumidor.

Dentro de um cenário de alta competitividade, pode ser o caminho mais adequado — e preciso — para continuar entre as principais empresas do seu segmento.

Quais são as principais barreiras para a implementação?

Antes de entender quais são as melhores estratégias para implementar uma cultura data-driven dentro da sua empresa, é importante saber quais são os principais desafios.

Por mais que os investimentos tenham aumentado consideravelmente nos últimos anos, isso não significa que todas as empresas tenha consolidado a cultura de dados.

A tecnologia não é o principal empecilho, pelo contrário, são as pessoas e os processos internos. A presença de um gestor para essa área, por exemplo, é extremamente necessária. Porém, segundo pesquisa da NewVantage Partners, o papel de Chief Data Office (CDO) ainda é visto como um cargo inseguro pelas empresas.

O estudo revela que apenas 27,9% consideram a função de CDO bem-sucedida. Com quase metade dos entrevistados indicando que esse é um cargo inicial e não tão bem estruturado, a rotatividade acaba se tornando outro obstáculo.

Sem um profissional com sequência no cargo — um problema para 23% das empresas — a mentalidade data-driven não consegue ser implementada.

Quais são as 4 melhores táticas para consolidar a cultura de dados?

Você já sabe qual é a importância de consolidar a cultura de dados na sua organização e os principais desafios para tal, certo? Que tal, então, entender quais são as 4 melhores estratégias para implementar uma mentalidade data-driven na sua empresa?

Confira!

1. Repensar investimentos

Os processos de coleta e armazenamento de dados são fundamentais para o sucesso da sua estratégia. Porém, eles não podem ser a etapa final de uma cultura data-driven.

Não adianta ter uma equipe grande para o Marketing com profissionais qualificados e deixar que eles percam suas horas de trabalho apenas coletando e armazenando essas informações.

Os dados só vão se tornar valiosos se os profissionais construírem insights e estratégias a partir do que é analisado. É a partir de um trabalho mais crítico que se torna possível direcionar melhor, por exemplo, os seus recursos a serem investidos.

Dados da Gartner mostram que 45% das empresas têm cientistas de dados realizando atividades mais básicas, como visualização e preparação.

O que vai tornar uma estratégia, de fato, eficiente são os insights resultantes de uma análise. Os dados, sozinhos, não vão gerar melhores resultados.

Por isso, é importante que os gestores façam uma avaliação da produtividade e do desempenho de suas equipes para investir melhor os seus recursos, com mais profissionais realizando tarefas mais estratégicas e menos burocráticas.

2. Trabalhar com uma equipe de dados ágil

Os profissionais selecionados para trabalhar na sua equipe de análise de dados também devem ser ágeis. Ou seja, a abordagem do trabalho analítico não pode ser demorada, as novas estratégias e tomadas de decisão devem ser feitas rapidamente.

Para ter sucesso na implementação de uma cultura data-driven, é preciso contar com uma equipe flexível e adaptável.

O trabalho de autogestão também é importante. Além de rápidos, os profissionais devem gerenciar as suas responsabilidades sem a necessidade que o CDO precise passar a maior parte do seu trabalho fiscalizando e avaliando.

Com o mercado passando por atualizações constantes, a sua equipe não pode ficar parada por longas semanas até apresentar insights relevantes.

3. Treinar as equipes de marketing e criar ferramentas

O desenvolvimento dos profissionais da sua equipe também deve ser uma prioridade. Isso significa garantir que o trabalho dos analistas não seja apenas técnico, mas que também sejam capazes de criar teses e hipóteses a partir das análises.

O ideal é procurar por profissionais que tenham três características em comum: conhecimento comercial, habilidades técnicas e capacidade analítica. A partir dessas qualidades, é possível montar uma equipe eficiente.

As habilidades técnicas permitem o uso adequado das ferramentas de gerenciamento de informações, por exemplo. O conhecimento comercial se refere ao entendimento do papel do Marketing para gerar mais vendas e a capacidade analítica representa o poder de solucionar problemas a partir dos dados.

4. Dados e processos sólidos focados em fomentar essa cultura

Nenhuma das táticas acima vai funcionar se a mentalidade data-driven não estiver enraizada na cultura organizacional do seu negócio. Todos os profissionais envolvidos naquele ambiente devem entender a importância dessa estratégia.

Por isso, é importante definir dados e processos sólidos para assegurar que essa mentalidade seja colocada em prática em todos os aspectos. Padronize as ferramentas utilizadas para tornar o Marketing mais analítico e, ao mesmo tempo, otimizar o compartilhamento de informações.

Também é importante encontrar quais atividades podem ser centralizadas para otimizar os seus custos. Por fim, é necessário uma avaliação constante do desempenho de toda a sua equipe para eventuais mudanças e melhorias.

Caso o objetivo da sua empresa seja continuar competitivo em seu segmento, consolidar a cultura de dados é, portanto, fundamental.

Os benefícios são os mais diversos para você e a sua equipe, mas o principal deles é o ganho em produtividade e rendimento. Com uma mentalidade data-driven, o seu negócio pode se destacar cada vez mais, especialmente em longo prazo.

Agora que você entendeu um pouco mais sobre a importância de consolidar a cultura de dados dentro da sua organização, que tal conferir mais conteúdos relevantes sobre este tema?

Acesse a última edição da Rock Content Magazine, focada em dados e como utilizá-los!



Fonte



Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


Lima & Santana Propaganda

Os comentários estão encerrados.