Justiça proíbe Panini de entregar álbuns e fazer publicidade em escolas

Nova política da Google Play Store não permite publicidade enganadora!
agosto 25, 2019
TUDO que você precisa saber em 2019
agosto 26, 2019
Show all

Justiça proíbe Panini de entregar álbuns e fazer publicidade em escolas

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

Marketing em Santos – Em sentença da Vara da Infância e Juventude de Barueri, a Justiça de São Paulo proibiu a Panini Brasil de entregar produtos ou realizar atividades de entretenimento, diversão e aprendizado em escolas ou espaços externos imediatamente próximos. A decisão ocorreu em ação civil pública movida em dezembro de 2018 pelo Ministério Público, após denúncia elaborada durante a Copa do Mundo da Rússia pelo Instituto Alana – organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, que aposta em programas que buscam a garantia de condições para a vivência plena da infância e que atuou no processo. Procurada, a Panini afirmou que não comenta ações judiciais em andamento.

Anunciar na TV – A publicidade infantil é considerada abusiva pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Também o Código de Defesa do Consumidor (CDC), em seu artigo 39, diz que os fornecedores de produtos ou serviços não podem “prevalecer-se da fraqueza ou ignorância do consumidor, tendo em vista sua idade, saúde, conhecimento ou condição social, para impingir-lhe seus produtos ou serviços”. Também há disposições contra propagandas dirigidas a crianças na Constituição Federal, no Marco Legal da Primeira Infância, e na Resolução 163 do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda)

Magia para empresa ganhar dinheiro – A decisão é de primeira instância – ainda cabem recursos ao Tribunal de Justiça, tanto da Panini quanto do Ministério Público. No texto, o juiz Fabio Calheiros do Nascimento afirma que a criança não consegue diferenciar conteúdo pedagógico de publicidade até os oito anos, nem identificar o caráter persuasivo da publicidade. Quando ela acontece dentro de uma escola, a criança não consegue diferenciar a atividade pedagógica da comercial. Segundo a sentença, independentemente de boas ou más intenções, a publicidade é uma atividade comercial realizada no espaço onde a criança está desacompanhada dos pais.

Bio – “Essa decisão é mais uma vitória contra a publicidade infantil, pois reforça o entendimento de que o mercado não pode se aproveitar da hipervulnerabilidade das crianças para seduzi-las ao consumo de seus produtos e serviços, especialmente no ambiente escolar, espaço privilegiado para a formação de valores. A entrada de empresas prejudica a autonomia pedagógica dos estabelecimentos de ensino e impede que as crianças sejam capazes de diferenciar o momento de aprendizagem da comunicação mercadológica”, explica Livia Cattaruzzi, advogada do programa Criança e Consumo, do Instituto Alana.

Deputado Federal da Baixada

Montagem de estandes – Atividades educativas com foco em desenvolvimento de menores através de álbuns dentro de sala são permitidas

Imagem: Amanda Perobelli/Estadão Conteúdo

Simpatia para atrair dinheiro e sorte para empresaDenúncias de país durante a Copa do Mundo levaram à atuação de instituto

Papa Saneamento – As ações comerciais que se tornaram alvo do processo envolveram o álbum de figurinhas da Copa do Mundo de 2018, e aconteceram em junho do ano passado. Foram distribuídos álbuns nas escolas, com marca e identidade visual da Panini. Os itens foram utilizados em atividades dentro e fora de salas de aula, tendo como recompensas figurinhas.

Criação de Site – “Foram ações durante a Copa do Mundo, em escolas, dentro e fora delas. A empresa dava o álbum da Copa, e eram propostas atividades. A partir dessas atividades propostas, os alunos ganhavam figurinhas. Iam para a casa com o álbum, algumas figurinhas, era só terminar de colecionar”, explica Cantaruzzi.

Empresa de Vidro em Santos – As atividades foram denunciadas por pais ao Instituto Alana. Dentre eles, pais e mães que não tinham condições econômicas para custos com álbum e figurinhas, tinham evitado até então adquirir o livro, e foram surpreendidos quando as crianças voltaram da escola com os produtos.

Sua Agência de Propaganda em Santos – “Há pais e mães que reconhecem que para atender os desejos de consumo das crianças, acabam se endividando. Então há casos nos quais os pais optam por não comprar o álbum, por não terem condições. Nem sabem que vai acontecer essa ação, e a criança volta para casa com o álbum”, explica a advogada do Instituto.

Rádio Interna – O documento base da ação entregue pelo Instituto Alana ao Ministério Público relatava ações comerciais da Panini em 15 escolas, passando por quatro estados diferentes – São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Paraná. A publicidade era realizada em diferentes níveis etários, do jardim da infância ao ensino médio.

Fonte: https://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2019/08/26/justica-proibe-panini-de-entregar-albuns-e-fazer-publicidade-em-escolas.htm



Fonte



Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


Lima & Santana Propaganda

Os comentários estão encerrados.