Dinheiro da publicidade estadual pode ter sido usado em pagamento de contas de luz de conselheiro do TCE, aponta investigação | Goiás

10 indicadores de vendas para analisar na sua agência
março 2, 2020
o que é e como aplicá-lo na prática em sua empresa
março 3, 2020
Show all

Dinheiro da publicidade estadual pode ter sido usado em pagamento de contas de luz de conselheiro do TCE, aponta investigação | Goiás

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

Um desdobramento da operação Sofisma, que investiga contratos publicitários do governo estadual entre 2013 e 2017, aponta que dinheiro destinado à publicidade pode ter sido usado em pagamento de contas de luz do conselheiro e ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado, Kennedy de Souza Trindade.

O publicitário Carlitos Ramos Verano, dono da agência Uniart, disse à polícia que pagou as faturas a pedido de Luiz José Siqueira, ex-presidente da Agência de Comunicação (Agecom), por medo de perder o contrato de R$ 12 milhões anuais com o governo.

A TV Anhanguera tentou contato com o conselheiro Kennedy Trindade por telefone, no gabinete dele e com a assessoria de imprensa, mas não obteve resposta.

A defesa de Luiz José Siqueira disse que o depoimento de Carlitos Verano traz informações inverídicas, contraditórias e sem provas. Disse também que até o final da investigação vai provar que nenhuma das afirmações feitas é verdadeira. Já Carlitos Verano não respondeu aos contatos.

Quinze contas de luz e comprovantes de pagamento foram apreendidos pela Polícia Civil na casa do publicitário Carlitos Ramos Verano, dono da agência de publicidade Uniart, que tinha contrato de R$ 12 milhões anuais com o governo.

Contas de luz em nome do conselheiro do TCE Kennedy Trindade  — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Contas de luz em nome do conselheiro do TCE Kennedy Trindade — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

As contas pagas pelo publicitário são de duas fazendas, em Brazabrantes, região central do estado, e estavam em nome de Kennedy Trindade. O jornal O Popular teve acesso com exclusividade às faturas e comprovantes de pagamento e ao depoimento do publicitário.

Para a polícia, o publicitário contou que desde o início do contrato entre a Uniart e o governo estadual em 2013, o então presidente da Agência de Comunicação (Agecom), Luiz José Siqueira fez pedidos de dinheiro e de pagamentos que beneficiariam terceiros.

Luiz Siqueira, cunhado da ex-primeira-dama Valéria Perillo, entregou pessoalmente à Carlitos as contas de energia elétrica, em reunião na sede da agência. As faturas somadas passam de R$ 24 mil. Carlitos alegou no depoimento ter pago as contas por medo de perder o contrato.

O publicitário disse à polícia “que os pedidos eram sempre feitos em forma de chantagem velada” e que “se sentia obrigado a realizar o pagamento com medo de perder o contrato, já que este poderia ser cancelado unilateralmente”.

Em depoimento, Carlitos diz ainda que durante os anos em que sua empresa teve contrato com a Agecom realizou vários pagamentos em espécie para Luiz Siqueira. Ao todo, segundo o publicitário, foram pagos mais de R$ 1 milhão.

Kennedy Trindade foi deputado estadual por dois mandatos e diretor-geral da Alego entre os anos de 2007 e 2010, quando foi nomeado conselheiro. Como membro do Tribunal de Contas do Estado, tem foro privilegiado e por isso o processo deve ser enviado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Conselheiro e ex-presidente do TCE, Kennedy Trindade — Foto: Reprodução/TV AnhangueraConselheiro e ex-presidente do TCE, Kennedy Trindade — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Conselheiro e ex-presidente do TCE, Kennedy Trindade — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Essa parte da investigação faz parte da operação Sofisma, que apura esquema de corrupção dentro da estrutura de comunicação do governo, durante a gestão de Marconi Perillo (PSDB).

Segundo a polícia, havia direcionamento de contratos milionários de publicidade a blogs e sites alinhados ao grupo político do então governador, com valores incompatíveis com as audiências dos veículos de comunicação.

A polícia estima que entre os anos de 2012 e 2017, foram desviados mais de R$ 2,5 milhões dos cofres públicos.

Veja outras notícias da região no G1 Goiás.

Fonte: https://g1.globo.com/go/goias/noticia/2020/03/02/dinheiro-da-publicidade-estadual-pode-ter-sido-usado-em-pagamento-de-contas-de-luz-de-conselheiro-do-tce.ghtml



Fonte



Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


Lima & Santana Propaganda

Os comentários estão encerrados.