Como fazer um Relatório de SEO que gere resultados

o que é e seu uso na comunicação das marcas
julho 14, 2019
Política de Privacidade – Triângulo Notícias
julho 15, 2019
Show all

Como fazer um Relatório de SEO que gere resultados

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

A sua estratégia de SEO está gerando resultados reais na sua estratégia de Marketing Digital? Você consegue provar esses resultados para os seus clientes ou para o seu chefe?

Um dos maiores desafios para SEOs de todo mundo não é apenas criar conteúdos que rankeam ou geram um aumento de tráfego, mas conseguir apresentar os impactos da sua estratégia com bons relatórios.

E claro, um bom relatório não pode apenas apresentar a situação atual e os resultados obtidos, mas deve gerar insights para definição dos próximos passos.

Aqui você vai conferir como fazer um bom relatório de SEO, entender quais são as principais métricas que precisamos apresentar, como fazer uma análise de desempenho e como definir as prioridades para os meses seguintes.

Se você quer aprender a fazer um bom relatório de SEO, confira!

O que é um relatório de SEO e quais os seus objetivos

Um relatório de SEO é um documento onde você organizará o desempenho e o momento atual que a sua estratégia está, destacando os pontos positivos, pontos de atenção e os próximos passos para a estratégia obter resultados reais.

O grande problema de forma geral hoje é que fazemos relatórios superficiais, que não geram insights e muitas vezes apontam indicadores que não são relevantes para a empresa ou cliente em questão.

O principal objetivo de um report é entender as métricas mais relevantes e acompanhar o desempenho delas.

Vejamos um exemplo:

Você diria que a estratégia de SEO abaixo é de sucesso?

análise de números para relatório SEO
análise de números para relatório SEO

Vejamos bem, um tráfego considerável de mais de meio milhão de acessos em apenas um mês e mais de 46 mil palavras indexadas entre as 3 primeiras posições!

Isso é definitivamente uma estratégia de sucesso, certo?

Depende.

Vamos supor que analisamos essa estratégia mais a fundo e encontramos os seguintes números:

  • Leads gerados via tráfego orgânico: 0
  • Clientes adquiridos via tráfego orgânico: 0

A dura verdade para muitos SEOs (eu incluso) é que tráfego e número de palavras-chave indexadas são… métricas de vaidade!

gif de surpresa

Para identificarmos quais realmente são as métricas mais relevantes para uma estratégia de SEO, é necessário ter uma pequena coisa muito bem definida.

Entenda a seguir.

Quais são os seus objetivos com a sua estratégia

Não, o foco de toda estratégia de SEO não é rankear para o máximo de palavras-chave possíveis e gerar um caminhão de tráfego.

Como vimos no exemplo, uma empresa pode gerar um milhão de sessões diárias e, ainda assim, não vender nada para esse tráfego.

Por exemplo, vamos supor que eu crie uma grande estratégia para rankear para a seguinte palavra-chave com o blog da Rock:

visão geral da palavra-chave cachorro

Uau! 450 mil buscas por mês!

Mas faria sentido para a nossa estratégia? Buscar por “cachorro” no Google, na sequência baixar um ebook de Marketing, e por fim contratar uma estratégia de conteúdo é o caminho natural que ninguém na história da humanidade jamais seguirá.

Eu sei que esse é um exemplo bem radical, mas muitas vezes nossas estratégias são baseadas em palavras assim.

E é por isso que, para definir nossas métricas, temos que ter nossos objetivos muito bem traçados.

Vejamos alguns exemplos.

Aumentar vendas:

Quais seriam boas métricas para esse objetivo?

  • Leads orgânicos;
  • Branded Keywords (palavras relacionadas diretamente à marca. Ex: Rock Content);
  • Vendas orgânicas.

Talvez a sua estratégia não precise de um caminhão de tráfego para conquistar esses objetivos.

Brand Awareness:

E se o seu objetivo fosse melhorar a percepção da sua marca no mercado?

  • Número de palavras-chave indexadas (focadas na persona);
  • Tráfego orgânico (de qualidade);
  • Branded Keywords.

Educar o mercado:

Se o objetivo fosse educar o mercado, quais métricas seriam um bom indicativo?

  • Palavras-chave (do mercado);
  • Tráfego orgânico;
  • Desempenho dos conteúdos (Time on Page/Pages per Visit/Bounce Rate).

O primeiro passo, então, para você conseguir analisar com qualidade o seu atual momento, é entender exatamente aonde você quer chegar com a sua estratégia.

Se você não sabe aonde quer chegar, nunca vai saber quando chegou lá.

trecho do filme alice no país das maravilhas

Agora que esclarecemos esse ponto de partida, podemos dar início à nossa parte prática. Vamos ver como fazer um bom report.

Para ensinar a fazer a análise, vou focar nos pontos principais que são os grandes pilares de uma estratégia de SEO.

As prioridades, como falamos, vão variar de acordo com os seus objetivos.

Veremos então como fazer uma análise aprofundada e que gere conclusões e tarefas dos pontos principais. São eles:

  • Tráfego;
  • Rankeamento;
  • Desempenho dos Conteúdos;
  • Saúde do Site;
  • Perfil dos Backlinks.

Então vamos em frente!

Observação importante: o objetivo do conteúdo não é explicar como você vai organizar a sua análise. De verdade, não me importa muito se você vai usar planilhas, slides ou até o bloco de notas.

O importante pra mim é que você leia esse conteúdo e saia daqui sabendo exatamente o que analisar, como analisar e que os seus relatórios realmente levem a sua estratégia a outro nível.

Tráfego

Se o tráfego como um número bruto pode ser uma métrica de vaidade, fazer uma análise profunda do seu tráfego está longe de ser um passo sem importância.

Entender o seu tráfego é um dos fatores mais importantes para o sucesso da sua estratégia.

O problema é que muitas vezes as nossas análises de tráfego são extremamente superficiais. Geralmente fazemos o seguinte:

comparação do tráfego

Comparo o tráfego orgânico do meu mês de outubro com o mês anterior.

Poxa! Que número incrível. Aumentamos em 8% o nosso tráfego. Quase 70 mil visitas a mais do que o mês anterior.

Logo, deduzimos que a nossa estratégia de SEO está um sucesso.

Porém, essa é uma análise absolutamente pobre e superficial dos seus números. Apesar desse crescimento, se analisarmos o mês de outubro mais a fundo, veremos que o crescimento não era o desejado.

Uma análise interessante é você entender como é o seu crescimento anual e a porcentagem de tráfego anual que cada mês geralmente traz para o seu blog.

Isso dará uma perspectiva melhor do seu desempenho mensal.

Vejamos, por exemplo, um comparativo de janeiro a outubro nos dois últimos anos no nosso blog:

tráfego em 2018
tráfego em 2017

É interessante perceber como os anos seguem um padrão de crescimento. Se observarmos 2016 teremos um gráfico semelhante.

Janeiro costuma ser um mês com tráfego mais baixo, assim como julho e dezembro — que são meses sazonalmente mais fracos.

Repare, porém, como em 2017 maio foi o melhor mês do primeiro semestre e como outubro já estava muito superior a esse mês.

Já em 2018, o nosso mês de outubro cresceu muito menos em relação à maio. O que mostra que nesse ano não conseguimos manter o crescimento que tínhamos em anos anteriores.

O blog pouco cresceu no segundo semestre de 2018. O que mostra que as nossas análises não podem se limitar apenas à mês vs mês e porcentagem de crescimento entre eles.

Análises importantes

Como vimos, tráfego por tráfego não quer dizer muita coisa. E nem os números verdinhos no Analytics de um mês para o outro.

É fundamental, de acordo com os nossos objetivos, sabermos quais são as métricas e resultados mais importantes para se acompanhar.

Como exemplo, vou apontar três indicadores interessantes que eu gosto de acompanhar aqui na Rock e que você pode aplicar também.

Claro, você pode acrescentar outras métricas e análises focadas à sua situação específica.

Crescimento esperado

Como no exemplo anterior, um importante indicador que acompanhamos aqui é o crescimento esperado para o ano.

De acordo com o crescimento dos anos anteriores, fazemos uma projeção e consideramos o tráfego que cada mês costuma representar anualmente.

A partir disso, temos uma projeção de crescimento.

Dessa forma eu consigo perceber que o crescimento no segundo semestre não foi satisfatório, não porque não houve nenhum aumento mês a mês, mas perto do potencial de desempenho desses meses, o crescimento foi baixo.

Como já havia usado esse exemplo antes, não vou delongar muito no tráfego esperado. Vamos ao próximo KPI.

Qualidade do Tráfego

Como falamos, tráfego por tráfego é uma métrica de vaidade.

De nada adianta eu ter uma loja de bebidas alcoólicas e o tráfego do meu site ser majoritariamente de crianças e adolescentes.

Portanto, existem alguns dados e métricas que vão ajudar a indicar se o tráfego que você recebe é exatamente composto pelos visitantes que você deseja.

Conversões

O primeiro e mais importante fator são as conversões. Elas são o principal indicativo se os visitantes do seu blog são realmente a persona que você deseja atrair.

Para isso, é fundamental que você tenha pontos de conversão no site e no seu blog, conduzindo o seu visitante pelo funil de vendas.

Afinal, o seu objetivo final é convertê-lo em um cliente e/ou promotor.

Essa análise ajuda a entender os visitantes e as falhas em cada etapa do funil. Muitas vezes você gera muita conversão no topo do funil, mas isso ainda não garante que são os visitantes que você quer se eles não seguem percorrendo a jornada do cliente.

Você pode acompanhar essas conversões por meio de ferramentas de automação como Hubspot, Mautic, Mailchimp e RD.

Ou você pode criar metas e conversões dentro do Google Analytics para fazer um acompanhamento da qualidade do seu tráfego e dos resultados gerados pelas suas visitas.

É importante sempre lembrar de segmentar o tráfego em “Tráfego Orgânico”, afinal nós queremos fazer uma análise do tráfego que vem do Google.

BIBLIOTECA: GUIA DAS FERRAMENTAS DE AUTOMAÇÃO

👉 Melhores ferramentas de automação: 6 opções para sua empresa

👉 O guia completo do RD Station: tutorial para usar a ferramenta

👉 Tutorial completo da Hubspot: aprenda como usar a ferramenta

👉 MailChimp: o tutorial completo da ferramenta!

Páginas por visita, duração média e taxa de rejeição

Páginas por visita, duração média e taxa de rejeição

Esses são outros três indicadores muito importantes de tráfego que ajudam a identificar a qualidade dos visitantes e dos seus conteúdos.

Se o público que você está atraindo consome mais e mais páginas do seu site, permanece muito tempo dentro das suas páginas a cada visita e costuma interagir com o seu blog, é um sinal de que você está atraindo as pessoas certas.

Embora não seja uma análise tão eficiente quanto a análise de conversões, eles ajudam a demonstrar que muitas vezes essa análise pode indicar mais uma falha dos nossos pontos de conversão, do que propriamente da qualidade do nosso tráfego.

Páginas mais visitadas

As páginas mais visitadas são um importante fator para você entender o valor das suas páginas e a performance do seu blog como um todo.

Por exemplo, alguns conteúdos nossos aqui da Rock tem um valor enorme para nós por trazer um alto volume de tráfego. Principalmente quando esse tráfego tem grande potencial de percorrer o nosso funil de vendas.

Um bom exemplo é o nosso post de Marketing Digital:

Um bom exemplo é o nosso post de Marketing Digital:

Só esse conteúdo gerou mais de 25.000 visitas no nosso blog. E ele é uma porta de entrada para muitos clientes aqui na Rock.

Vocês podem conferir essa história melhor no nosso case sobre o blog post de 2 milhões de reais!

Acompanhar o desempenho das suas páginas, então, é fundamental para entender o seu tráfego como um todo e, especialmente, entender quedas e crescimento de tráfego.

A análise padrão quando queremos analisar as páginas do nosso site/blog é selecionarmos o mês (ou trimestre ou semana) e compararmos com o mês anterior.

comparação mês a mês

Essa é uma análise necessária e realmente deve ser feita constantemente. Porém, ela pode esconder algumas informações preciosas.

Uma boa dica é inverter essa pesquisa:

comparação mês a mês

Isso porque o mês selecionado é o que o Analytics usará como base para a comparação, ou seja, ele mostrará as páginas com mais acesso do mês escolhido inicialmente.

Veja a diferença da análise:

Quando a base foi outubro:

análise de posições

Quando a base foi agosto (mudei setembro para agosto porque os resultados tiveram uma mudança mais significativa para o exemplo):

análise de posições

Quando você usa o mês anterior como base, terá uma facilidade maior para identificar páginas que performaram muito bem e que agora não estão performando.

Um bom exemplo disso foi quando tivemos um problema de indexação da nossa página Marketing de Conteúdo.

Apesar de ser um dos conteúdos mais importantes do blog, afinal é o nosso core business, ele não é um conteúdo que recebe um número enorme de tráfego. Sendo assim, ele não costuma estar entre o nosso top 10 conteúdos mais visitados.

Quando fiz essa inversão entre meses, percebi que o post Marketing de Conteúdo estava no top 20 nas primeiras semanas de dezembro, porém nas últimas ele estava com seus acessos zerados.

Talvez sem essa inversão eu não tivesse percebido, uma vez que continuávamos em primeiro no Google (porém com outra página), e normalmente ele não fica entre os mais acessados, chamando atenção por uma queda de tráfego.

Essa pequena história apenas demonstra a importância dessa inversão e seguir buscando sempre mais informações com os dados que temos.

Identificando motivos de queda ou crescimento

Mais importante que encontrar quedas ou crescimento, é entender o motivo pelos quais uma página perdeu tráfego ou ganhou.

Deixo aqui algumas sugestões de análises que podem, e muitas vezes são, os motivos de variações de tráfego:

  1. Ganho/perda de posições nas SERPs.
  2. Ganho/perda de SERP Features — como Featured Snippets, People Also Ask, Carrousel.
  3. CTR Orgânico da página caiu — diz respeito à porcentagem de cliques que os resultados orgânicos da SERP recebe. Muitas vezes, o Google coloca um knowledge graph ou panel, aumenta o número de anúncios na página, afetando o número de cliques nos resultados orgânicos.
  • Uma ferramenta que ajuda a ver o CTR de uma página de resultados específicas é a Keyword Explorer da Moz.
  1. Sazonalidade da palavra-chave — Algumas palavras-chave tem uma variação de tráfego enormes em certos períodos do ano, por exemplo: panetone, ovo de páscoa e Copa do Mundo.
  2. CTR (Desempenho do conteúdo) — O número de cliques dá página específica caiu nas SERPs

Resumo de Tráfego

Situação atual:

  • Crescimento condizente ou não com o esperado naquele período;
  • Tráfego nos conteúdos mais importantes;
  • Desempenho de conversão e qualidade do tráfego.

Oportunidades (Próximos passos):

  • Identificar oportunidades a partir de quedas e ganhos;
  • Conteúdos que perderam posições;
  • SERP features disponíveis;
  • Sazonalidade, local etc;
  • Uma boa análise tráfego é fundamental para ajudar na análise dos conteúdos e de palavras-chave.

Análise dos conteúdos

Uma boa análise de SEO precisa passar pelos conteúdos do seu blog.

Primeiramente você precisa identificar quais são os posts mais importantes para o seu site/empresa.

O pensamento mais comum é que as páginas que mais geram tráfego são as mais importantes para um site. E não necessariamente isso é uma realidade. Como falamos, o tráfego muitas vezes pode ser uma métrica de vaidade.

Como exemplo, confira as páginas que eu realmente considero as mais importantes para a Rock:

páginas mais importantes
páginas mais importantes

Existem várias páginas que geram muito mais tráfego do que as destacadas, porém quando pensamos no nosso mercado e nos serviços que a Rock oferece, essas são as páginas que mais educam e conduzem nossos potenciais clientes pelo nosso funil.

Portanto, as principais páginas não são as que geram mais visitas, mas as que possuem maior potencial de negócio. Ou um equilíbrio entre as duas coisas, como essas apresentadas.

Ao identificarmos essas principais páginas, precisamos fazer uma auditoria nesses conteúdos. O que é um conteúdo de qualidade? Como avaliar para saber se meu conteúdo realmente merece estar no topo do Google?

Veremos alguns indicadores fundamentais para identificarmos essa qualidade, fatores que revelam ao Google se um conteúdo é ou não de qualidade.

Intenção do Usuário

A primeira avaliação que o seu conteúdo precisa receber é: ele realmente responde a intenção de busca do meu usuário?

Para isso é fundamental analisar os resultados que o Google considera mais relevantes e os temas que eles abordam. Não vou me alongar muito aqui, em caso de dúvidas temos um vídeo em que explico como entender a intenção do usuário:

As próximas métricas também são indicadores de que essa intenção está ou não sendo respondida.

Tempo de permanência na página

O sinal que essa métrica indica é um pouco óbvio, afinal, quanto mais tempo os visitantes permanecem na página, maior é o indicador de qualidade dela.

Afinal, se o conteúdo fosse desinteressante, dificilmente alguém leria até o final.

Uma relação importante ao se analisar essa métrica é fazer uma relação entre o tempo e o tamanho do conteúdo. E compará-la também a outras páginas de tamanho similar.

Uma página com um conteúdo de 500 palavras que possui 1 min de permanência pode ser considerada uma boa página. Porém, se ela tivesse 10 mil palavras e o mesmo tempo, provavelmente seria um indicador preocupante.

Avaliar somente essa métrica, no entanto, não é o suficiente. Assim como as próximas, essas métricas do Google Analytics têm relações entre si e devem ser avaliadas em conjunto.

tempo médio de permanência na página

Taxa de rejeição

A taxa de rejeição representa a porcentagem das pessoas que acessaram a sua página e saíram sem nenhuma interação com ela.

É um sinal extremamente relevante, afinal, se as pessoas interagem com o seu conteúdo (comentam, clicam em um link ou CTA, preenchem um formulário) é um sinal de que eles estão gostando do que estão vendo.

Além disso, se um visitante acessa o seu conteúdo e volta para a página de resultados, é um forte indicador que seu conteúdo não responde a intenção de uma busca específica.

Páginas por visita

Outra métrica importante que pode ser acompanhada pelo Google Analytics e que está diretamente relacionada à taxa de rejeição, é o número de páginas que o usuário acessa a cada visita no seu site.

Se todo visitante chega e vai embora no mesmo conteúdo, pode passar um sinal negativo, mostrando que o seu conteúdo não está engajante o suficiente e que os seus CTAs não são nem um pouco convincentes.

Isso está diretamente ligado à qualidade de um conteúdo.

Sendo assim, quanto mais alto for o número de páginas acessada pelo usuário, melhor será o sinal de qualidade que aquele conteúdo transmite.

CTR

O título é sem dúvidas um dos principais elementos de um conteúdo. Quando bem-feito, atrai clique e diversos visitantes para o seu site.

Porém, basta um título ruim para um conteúdo de extrema qualidade jamais ser sequer clicado.

Por isso o CTR é umas das mais importantes métricas a serem acompanhadas. Ele demonstra a qualidade de um conteúdo e, em especial, dos seus títulos.

Você pode acompanhar o CTR das suas páginas pelo Google Search Console, na aba:

google search console

Você pode selecionar uma página específica e depois ver o seu CTR para as pesquisas feitas:

CTR no google search console

A partir disso você pode descobrir quais títulos e meta descrições precisam ser otimizadas e acompanhar e comparar os desempenhos.

Comportamento do Usuário

A experiência que o usuário tem dentro de um conteúdo não é uma métrica específica, mas, com certeza, é fonte de grandes insights.

Entender o que tem atraído mais cliques, qual a parte do texto as pessoas costumam parar de ler, quais partes chamam mais atenção etc., ajuda a compreender não apenas a qualidade do conteúdo como um todo, mas também de momentos específicos.

Uma ferramenta excelente para acompanhar o comportamento do visitante dentro da sua página é o Hotjar, que faz mapas de calor, grava as visitas no seu site, mostra onde as pessoas costumam sair do post, entre outras coisas.

hotjar

Portanto, uma boa auditoria de SEO passa pela qualidade dos conteúdos, afinal, o segredo do SEO é você ser a melhor resposta que o Google pode apresentar para um usuário.

Essas métricas e análises são uma forma de certificar que você está atingindo esse nível. Conteúdo ruim = SEO ruim.

Resumo da Análise de Conteúdo:

Situação atual

Conferir o desempenho dos conteúdos:

  • Conversão;
  • Tempo de permanência;
  • Taxa de Rejeição;
  • CTR;
  • Comportamento do usuário.

Oportunidades (Próximos passos)

Identificar oportunidades de melhoria:

  • Atualização do conteúdo (time on page);
  • Melhorar títulos (CTR);
  • Fazer bons CTAs e links internos (Bounce Rate/Conversão/Pages per visit).

Análise de Palavras-chave

Outro grande pilar das estratégias de SEO são os termos que você quer ser a resposta para eles quando alguém faz essa busca.

Uma boa estratégia de SEO passa por uma boa definição dessas palavras-chave, e um bom relatório de SEO passa por uma análise dessas palavras.

Algumas ferramentas úteis para ajudar nesse momento:

Acompanhamento diário:

Qualquer site/blog tem as suas principais palavras-chave, como já exemplificamos quando falamos das páginas mais importantes de um site.

Além de acompanhar e analisar o tráfego nessas páginas, é fundamental acompanhar diariamente as suas posições.

Quanto mais rápido você identifica as quedas, mais rapidamente poderá reagir e recuperar aquelas posições, evitando uma queda de tráfego ainda maior.

Em ferramentas como SEMrush e o Ahrefs você pode selecionar as suas principais palavras-chave e fazer esse acompanhamento diário:

principais palavras-chave

Esse exemplo mostra alguns dos termos mais relevantes para o Comunidade Rock Content, vistos pela ferramenta “Keyword Tracking” do SEMrush.

Oportunidades para Topic Clusters

Além de acompanhar as palavras-chave que já rankeamos, enquanto fazemos um bom relatório de SEO é importante encontrarmos algumas oportunidades que ainda não estamos aproveitando.

É nesse momento que você descobrirá gaps e oportunidades para gerar mais tráfego.

O SEMrush tem uma ferramenta excelente para encontrar long tails, o Keyword Magic Tool, que a partir de uma long tail como “Marketing Digital” apresenta várias oportunidades de posts satélites e de palavras nunca usadas:

ideias de topic cluster

Outra que dá insights muito legais é o Answer the Public:

Answer the Public

Que trabalha uma head tail seguida de perguntas, preposições, conjunções etc.

Análise de Concorrência:

As melhores oportunidades de palavras-chave você encontra analisando os seus concorrentes.

  1. Você impede que ele tenha conteúdos que você não tem;
  2. Você descobre novas palavras para geração de tráfego no seu blog.

Você pode usar algumas das ferramentas sugeridas para analisar o domínio do seu concorrente e ver quais são as principais palavras-chave para ele, como esse exemplo usando o SEMrush:

análise de domínio
análise de domínio

Uma funcionalidade que eu gosto muito nessas ferramentas é a de poder segmentar quais palavras você quer ver:

  • Palavras que você e o concorrente tem em comum;
  • Palavras que ele tem e você não.

A segunda opção é muito importante, pois você encontra gaps e evita que ele tenha vantagem sobre você.

lacunas nas palavras-chave

O círculo na imagem mostra no SEMrush como selecionar as palavras que quero entre os dois domínios. A parte selecionada me mostraria apenas as palavras que a Hubspot tem e eu não, por exemplo.

Oportunidades de Atualização:

Talvez você esteja pensando que oportunidades de atualização deveriam estar em análise de conteúdo.

E você não está errado!

Porém, na nossa análise de KWs, existe uma excelente forma de encontrarmos conteúdos que podem ser atualizados e gerar resultados incríveis.

Como exemplo, vou utilizar novamente a SEMrush, mas outras ferramentas de palavras-chave também podem apresentar essa funcionalidade.

A ideia aqui é identificar as palavras-chave que você rankeia entre a sexta e a vigésima posição:

As posições que estão entre sexto e vigésimo são os conteúdos com maior potencial de saltos nas SERPs, uma vez que já rankeiam relativamente bem e podem melhorar bastante com uma atualização.

Outra forma de identificar as oportunidades de atualização é o acompanhamento diário. Se você perdeu posições ou viu que os concorrentes atualizaram e melhoraram os deles, é hora de otimizar também.

Atualizações são fundamentais para atacar e defender posições.

Resumo de Palavras-chave

  1. Definir quais são as principais KWs para a estratégia;
  • Acompanhar as suas posições;
  • Criar Topic Cluster para fortalecer.
  1. Identificar oportunidades de ataques (análise de concorrência);
  2. Encontrar atualizações que podem gerar grandes resultados;
  3. Definir quando atacar e quando defender.

Saúde do Blog

Você pode ter conteúdos excelentes, rankear para muitas palavras-chave, ter um tráfego constante, mas tudo isso pode estar em risco pela saúde do seu blog.

Ou a saúde pode ser o motivo que você não ainda não decolou nas SERPs.

A auditoria do site para conferir a saúde é fundamental porque:

  • Revela erros no seu site que você não havia percebido;
  • Identifica links e páginas quebradas;
  • Ajuda a otimizar o desempenho do seu site.

Fazendo uma auditoria você vai encontrar uma enorme gama de dados e um dos passos mais importantes é entender quais são as prioridades:

  • Identificar os principais erros e corrigi-los;
  • Otimizar a velocidade do site;
  • Evitar perdas repentinas de rankings importantes;
  • Um blog sem saúde não rankeará mesmo com uma boa estratégia.

Como fazer uma auditoria

É impossível fazer a auditoria do seu site sem boas ferramentas.

Algumas delas são:

Dentre as 3 ferramentas sugeridas para a auditoria completa, a única que possui tem versão gratuita é o Screaming Frog. Porém, obviamente, a versão é limitada e rastreia apenas 500 URLs do seu site.

O Ahrefs também disponibiliza um free trial durante 7 dias.

Essas ferramentas funcionam simulando os crawlers do Google rastreando o seu site e, assim, apresentam os possíveis erros que podem prejudicar o seu site aos olhos do buscador.

Veja esse exemplo no Screaming Frog:

 Screaming Frog

Ele analisa as mais diversas URLs do site e apresenta o que os bots leram em cada uma delas:

Screaming Frog

Assim, ela aponta erros e análises em URLs específicas e no domínio como um todo. Além disso é possível filtrar os erros e status que você quer visualizar.

Screaming Frog

Uma outra característica excelente dessas ferramentas como Ahrefs e SEMrush é que elas apresentam quais dos erros identificados em uma auditoria você precisa priorizar.

Veja esse exemplo de auditoria do SEMrush:

auditoria semrush

Repare que os erros estão divididos de acordo com a sua gravidade.

E você pode ver as listas de erros e onde eles estão localizados no site.

erros do blog

Em algumas situações você pode ser deparar com erros que você não saberá corrigir:

advertências complexas

Nesse caso, o ideal é você focar em erros importantes que estão prejudicando o seu blog/site e que você pode resolver facilmente:

erros apontados no relatório

Então nesse momento da auditoria é importante:

  • Priorizar os erros mais importantes e que podem prejudicar o site;
  • Resolver aqueles erros que você consegue resolver sem depender de mais ninguém;
  • Não é necessário zerar todos os erros do dia para a noite. Faça correções estratégicas;
  • Nem todos os erros precisam ser corrigidos.

Talvez você esteja se perguntando por que nem todos os erros precisam ser corrigidos. A verdade é que nem todos os erros apontados são, necessariamente, prejudiciais.

Alguns são apenas boas práticas a serem evitadas, por exemplo:

advertência semrush

Algumas páginas no seu site podem sim ter uma quantidade baixa, com menos de 300 palavras, e ainda sim darem todas as informações necessarias.

Isso não é muito comum, mas acontece.

Nesse caso o ideal seria conferir as páginas e, se necessário, atualizá-las.

Velocidade do Site

Um dos principais pontos na saúde de um site é a velocidade de carregamento. Eu não sei quanto a você, mas se um site demora mais de 5 segundos pra carregar a minha reação é essa:

via GIPHY

Por isso o Google dá tanta importância para essa métrica. Porém, ela funciona um pouco diferente do que as pessoas muitas vezes imaginam.

Quanto mais rápido o meu site melhor eu vou rakear?

Não necessariamente. O site carregar muito rápido não é necessariamente o que vai te fazer ganhar posições.

A velocidade está mais relacionada a uma punição. Ela não vai fazer você decolar nas SERPs, mas vai impedir que você despenque. A velocidade é um pré-requisito para estar no topo.

O próprio Google já disponibiliza uma ferramenta muito útil para otimizar essa métrica, o Pagespeed Insights:

pagespeed insight

O Pagespeed Insights avalia o código do seu site e aponta todos os fatores que provavelmente estão atrapalhando o desempenho das suas páginas.

O ideal é que você não use a Home do seu site para essa avaliação, mas sim as páginas mais importantes para o seu negócio e que precisam rankear para buscas específicas no Google.

O Pagespeed Insights não mostra a velocidade exata de carregamento do site, por isso sugiro uma outra ferramenta — também excelente — que além de mostrar as melhorias, apresenta o tempo de carregamento:

relatório de tempo de carregamento

Resumo de Saúde

Momento atual

  • Levantar os principais erros do blog e fazer um balanço geral da saúde

Próximos passos (insights)

  1. Criar uma meta de correção de erros (mês/quarter)
  2. Definir as prioridades
  3. Encontrar oportunidades
  • Erros simples que geram grande impacto
    • Ex: Plugin para compactar imagens

Perfil de Backlinks

Não é segredo para ninguém que os dois principais fatores de rankeamento no Google são: a qualidade do seu conteúdo e o seu perfil de backlinks.

Portanto, não existe um bom relatório de SEO que não levante como está o seu perfil.

Algumas ferramentas que podem ser utilizadas:

O primeiro passo para entender a qualidade dos seus backlinks é conferindo a saúde deles. Vai ser um processo parecido com a auditoria do site no tópico anterior.

Saúde dos Backlinks

A ferramenta MozBar, que é uma extensão para o navegador, pode ajudar você com uma métrica simples, mas que é um bom indicador:

moz bar

O Spam Score mostra o número backlinks que passam uma imagem ruim para Google. Como links nocivos ou links que claramente tentam manipular o buscador.

Por exemplo, a sua oficina de carros recebe backlinks no footer de um site de Poker Online.

Eles mensuram de acordo com o perfil dos seus links e de links de sites que foram punidos ou banidos do Google.

De acordo com a própria Moz, um Spam Score de até 30% é considerado baixo.

Outras ferramentas como o Ahrefs e o SEMrush mostram a saúde dos seus links e a qualidade deles:

auditoria de links

Nesse print conseguimos ver o número de backlinks recebidos e o número de domínios, mas nesse primeiro momento vamos focar no “Toxic Score”.

Apenas 1% dos links são considerados nocivos. O que é um número excelente e não demanda nenhum tipo de preocupação.

O problema é quando o seu perfil passa a ter um número enorme de links considerados tóxicos:

auditoria de links

Segundo o Google, você não precisa se preocupar tanto com links nocivos, porque o buscador já identifica links nocivos e os ignora.

Existe uma certa discussão com SEOs de todo o mundo acerca do disavow (desabilitar os links), alguns acreditam que vale a pena, outros não.

Minha recomendação pessoal é que você confira de onde vem esses backlinks, caso sejam domínio claramente nocivos e de spam, você pode sim desabilitar esses links.

O Google Search Console tem uma funcionalidade para isso:

rejeição de links

Se você quiser entender melhor como e por que desabilitar itens, temos um conteúdo completo sobre como rejeitas links nocivos!

O mais importante ao conferir a saúde do seu perfil de backlinks é focar em conquistar mais backlinks de boa qualidade para o seu blog, aumentando cada vez mais a proporção dos links verdinhos.

Qualidade do Perfil de Backlinks

Saúde avaliada, é hora de ver se a quantidade de backlinks que você recebe é realmente de qualidade.

Além disso, você precisa acompanhar os links que você está perdendo ou ganhando.

análise

Dois dos principais números são: a quantidade de backlinks recebidos e quantidade de domínios.

Isso porque é muito melhor você receber 5 links de dois bons domínios diferentes do que 10 links de um único domínio.

Afinal, a variedade de domínios mostra ao Google que muitas empresas diferentes confiam na sua.

Links de qualidade

É fundamental olhar também quais são os domínios que estão fazendo links para você para conseguir avaliar a qualidade deles. As características de um bom backlink:

  • Domínios com uma boa autoridade;
  • Domínios que fazem parte do mesmo mercado que você (não adianta receber link de um site de poker online se você vende ração para cachorro);
  • Links feitos de forma natural;
  • Texto âncora direto, ou variação ou similar à palavra-chave principal (nunca “clique aqui”);
  • Posição do link na página (quanto mais perto do topo, melhor);
  • Domínios novos (inéditos).

Essas ferramentas mencionadas também possibilitam ver os textos âncora que mais recebem links.

textos âncoras

Isso também ajuda a entendermos se a nossa estratégia de links está realmente trazendo links para as páginas e âncoras certos.

Tipos de links

Outra característica importante é vermos os tipos de backlinks que estamos recebendo:

links follow e nofollow

Receber mais links follow é o mundo ideal, porém é bem importante você receber links nofollow também. Geralmente temos a tendência a achar esse tipo de link ruim, mas eles trazem vários benefícios:

  • Você recebe tráfego do mesmo jeito: são links normais, recebem tráfego e cliques do mesmo jeito.
  • Passam relevância: ainda que o link não passe relevância como os links normais, o Google sabe que o site está fazendo um link para você.
  • Sinais sociais: links em Redes Sociais são nofollow e mesmo assim passam autoridade mostrando como a marca tem engajamento do público.
  • Aumenta o brand awareness.
  • Links geram mais links: quanto mais domínios linkam para você, maiores as chances de outros também fazerem.
  • Perfil de backlinks mais natural: se você recebe só links follow, pode passar uma imagem de um perfil forçado e manipulado.

Ainda com esse benefícios, o ideal é que a prioridade da sua estratégia seja adquirir links normais.

Links dos concorrentes

Nada melhor para otimizar o seu perfil de backlinks do que descobrir os domínios que linkam para o seu concorrente e não linkam para você.

Você resolve 2 problemas de uma vez só: primeiro, você consegue links de domínios inéditos, segundo, você tirar uma vantagem competitiva que o seu cliente tinha sobre você.

O print abaixo mostra essa funcionalidade no SEMrush, destacando os links exclusivos para os domínios comparados.

comparação de links

Além disso você tem a função de ver não apenas o domínio como um todo, mas páginas e blog posts específicos:

lacunas nos backlinks

Essa análise pode apresentar as melhores oportunidades de backlinks para a estratégia no mês seguinte.

Outra vantagem é pode ver exatamente de onde vem esse link (de um guest post, link natural, listas etc.), facilitando uma proposta de parceria.

Resumo de Backlinks

Momento atual:

Perfil de backlinks

  • Qualidade dos links
  • Qualidade dos domínios
  • Qualidade dos textos âncora

Páginas e âncoras que precisam de mais links

Próximos passos (insights)

  • Conquistar backlinks que meus concorrentes têm e eu não;
  • Abordar potenciais parceiros;
  • Aplicar novas estratégias de Link Building;
  • Prospectar parceiros que meus concorrentes não têm.

Resumo Geral: fazendo um report que gera insights

  • Entender a qualidade do meu tráfego e identificar oportunidades para aumentar o tráfego que traga resultados reais;
  • Acompanhar o rankeamento das Top KWs e encontrar novas oportunidades;
  • Certificar que os seus conteúdos performam e geram bons resultados;
  • Acompanhar e cuidar da Saúde do Site;
  • Entender e otimizar o perfil dos Backlinks.

Espero que essas dicas ajudem você a criar um report que prove os resultados que você tem gerado e mostre o valor da sua estratégia.

Além disso, e principalmente, que os seus relatórios gerem insights reais para a sua estratégia nunca parar de evoluir e o seu SEO estar cada vez mais otimizado.

Qualquer dúvida, sugestão ou outros processos que você faça nos seus relatórios, compartilhe nos comentários e vamos aprendendo juntos!



Fonte



Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


Lima & Santana Propaganda

Os comentários estão encerrados.